Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A organização do 29º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo anunciou na segunda (18) os finalistas de suas nove categorias.

A lista traz 11 nomes. Entram na seleção espetáculos apresentados no primeiro semestre do ano, e o júri é composto por Carlos Colabone, Evaristo Martins de Azevedo, Lucia Camargo, Luiz Amorim e Renata Melo.

Espetáculo que retrata o universo do cangaço, “Cabras - Cabeças que Voam, Cabeças que Rolam” está na fase final de três categorias: figurino, iluminação e música.

“A Tragédia Latino-Americana”, que discute as heranças da colonização em nosso continente, também disputa três prêmios: direção, cenário e música.

O vencedor de cada categoria recebe uma escultura em metal do artista plástico Domenico Calabroni e uma premiação individual de R$ 8 mil.

AUTOR

Leando Cortez, por “Sala dos professores”

Rudinei Borges, por “Dezuó, breviário das águas”

DIREÇÃO

Felipe Hirsh, por “A Tragédia Latino-Americana”

Marco Antônio Pâmio, por “Playground”

ATOR

Mateus Monteiro, por “Playground”

Pedro Vieira, por “Eu Tenho Tudo”

ATRIZ

Miriam Mehler, por “Fora do Mundo”

Regiane Alves, por “Para Tão Longo Amor”

CENÁRIO

Daniela Thomas e Felipe Tassara, por “A Tragédia Latino-Americana”

Telumi Hellen, por “Dezuó, Breviário das Águas”

FIGURINO

Gabriel Villela, por “Rainhas do Orinoco”

Márcio Medina, por “Cabras - Cabeças que Voam, Cabeças que Rolam”

ILUMINAÇÃO

Aline Santine, por “Cabras - Cabeças que Voam, Cabeças que Rolam”

Caetano Vilela, por “As Benevolentes”

MÚSICA

Arthur de Faria, por “A Tragédia Latino-Americana”

Dr. Morris, por “Cabras - Cabeças que Voam, Cabeças que Rolam”

INOVAÇÃO

Centro Cultural São Paulo, pelo estímulo à experimentação de novas formas cênicas, dramatúrgicas e de produção por meio do projeto “Mostra de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos”

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]