Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Caderno G
  3. Resgate do legado espanhol

Poesia

Resgate do legado espanhol

O paranaense Fábio Aristimunho Vargas traduziu e organizou a primeira antologia das quatro línguas faladas e escritas na Espanha, do século 12 até a Guerra Civil

  • Marcio Renato dos Santos
Vargas: o primeiro mapeamento, em âmbito mundial, da produção poética da Espanha |
Vargas: o primeiro mapeamento, em âmbito mundial, da produção poética da Espanha
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Resgate do legado espanhol

A Guerra Civil (1936-1939) provocou fraturas, ainda não totalmente cicatrizadas, nos tecidos social e cultural da Espanha. Entre as baixas, não apenas Federico Garcia Lorca (assassinado em 1936), mas muitos outros autores. Não foram poucos os sobreviventes que tiveram de buscar no exílio a única possibilidade para continuar a vida. O fim do confronto, então, não é data para se comemorar. Ao contrário. O general Franco proibiu que se falasse, escrevesse e publicasse em basco, galego e catalão,o que provocou imenso desconforto entre as minorias do país.

Agora, sete décadas depois do encerramento da Guera Civil, um brasileiro, mais especificamente um paranaense, natural de Foz do Iguaçu, organiza a primeira antologia de poesia dos quatro idiomas que pulsam na Espanha – iniciativa inédita em âmbito mundial. Fábio Aristimunho Vargas, de 32 anos, assina a tradução e a organização de quatro títulos publicados pela editora Hedra: Poesia Espanhola, Poesia Basca, Poesia Catalã e Poesia Galega. Ele participa de um debate, que inclui sessão de autógrafos, na próxima segunda-feira, 4 de maio, às 19h30, no Salão Internacional do Livro de Foz do Iguaçu (R. Benjamin Constant – em frente à Fundação Cultural).

O projeto começou a ser esboçado durante 2002, ano em que Vargas passou temporada na Espanha – ele realizou um curso na Universidade de Salamanca. Lá, constatou que, primeiro, não havia qualquer antologia de poesia nos idiomas falados e escritos no país de Cervantes. Depois, percebeu que o conflito do século 20 seria um limite para a proposta. Daí o subtítulo da coleção: Das Origens à Guerra Civil. As poesias espanhola e catalã tiveram início no século 12. Poetas galegos são conhecidos a partir do século 13. A poesia basca, por sua vez, passou a ser produzida apenas no século 15.

Vargas procurou apresentar ao leitor um painel, o mais amplo possível: cada título tem 30 poemas, de 20 autores – o que totaliza 80 poetas (do século 12 até meados do século 20). Mas o critério foi o seu gosto pessoal. Ele também é poeta, autor do livro Medianeira. “A minha sensibilidade norteou a seleção.” Há, de fato, variedade e muitas informações relevantes. No País Basco, região situada no extremo norte da Espanha, mais do que nascer no local, para ser considerado um “nativo”, é necessário falar a língua. “Entre as línguas a tinham/ como dentre as mais pobres,/ mas agora há de ser/ de todas a mais nobre”, diz um poema, atribuído a Bernat Etxepare, de 1480, que revela a necessidade dos bascos de afirmar o idioma.

O general Franco, ditador que ficou no poder de 1939 até a década de 1970, reprimiu tanto o País Basco, que até ordenava para que fossem raspadas as inscrições em basco registradas em lápides de cemitérios. A respeito dessas nuances, e sobretudo para divulgar essa coleção, Vargas deve falar em Barcelona ainda em 2009. Por hora, de volta a Foz do Iguaçu (ele morou em São Paulo de 1995 até o ano passado), o advogado divide-se entre as demandas do seu escritório, aulas em duas faculdades e muito estudo: tem a meta de vir a ser aprovado na prova do Instituto Rio Branco e, finalmente, ingressar na escola de diplomatas.

Os quatro volumes apresentam estudos introdutórios, que são portas de entrada para entender o contexto em que foram produzidas essas manifestações poéticas. Mas, na realidade, a grande contribuição desse projeto é a disponibilização dos textos nos idiomais originais e na tradução em português – o que viabiliza ao leitor o contato direto com essas manifestações que, por meio de lirismo, tratam de questões atemporais, como amor, ódio, ciúme, morte, perseguição e vida.

Serviço:

Coleção Poesias da Espanha: Das Origens à Guerra Civil. Quatro Volumes (Poesia Espanhola, Poesia Basca, Poesia Catalã e Poesia Galega). Hedra. 150 págs (em média, por edição). Preço médio: R$ 15.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE