Logotipo Futebol 2019

Time europeu tem até 100 dias entre duas temporadas, brasileiro joga 38 dias após decisão

Montagem com jogos desse final de semana de Borussia e Athletico. Fotos: Robert Michael/AFP e André Rodrigues/Gazeta do Povo
Montagem com jogos desse final de semana de Borussia e Athletico. Fotos: Robert Michael/AFP e André Rodrigues/Gazeta do Povo

Começou a temporada do futebol brasileiro, com os “vibrantes” campeonatos estaduais que se arrastarão por 92 dias, mais de três meses, ou perto de 30% das datas que formam todo o calendário futebolístico nacional. Serão 13 semanas e um dia, com disputas em sua grande maioria sem atrativos, sem graça, sem apelo.

No Brasil, o período que separa o encerramento de uma temporada e o início da seguinte é demasiadamente curto, inadequado. Como os profissionais têm 30 dias de férias, restam entre pouco menos de quatro semanas e pouco mais de uma para reapresentação, exames médicos, contratações, condicionamento físico, treinamentos, jogos de pré-temporada…

LEIA MAIS

Messi chega a 400 gols só no Campeonato Espanhol. Pelé faria melhor?

>> MERCADO DA BOLA: confira quem o seu clube está contratando ou dispensando

Iago Dias comemora o primeiro gol do Coritiba na vitória de 4 a 0 sobre o Foz na estreia do Paranaense. Foto: Kiko Sierich/Gazeta do Povo

Dois times de Curitiba registram extremos entre 2018 e 2019. O Coritiba é um dos que teve maior intervalo entre o encerramento de sua última competição no ano passado e a estreia no Estadual. Isso porque o Brasileiro da Série B terminou antes da Primeira Divisão, como de hábito. Mesmo assim, o Coxa teve 19 dias menos do que o europeu mais sacrificado.

Sim, o Paris Saint Germain foi um dos times que, na transição da temporada anterior para a atual, teve menos número de dias, 77. Ainda assim isso significa mais do que o dobro do tempo com o qual o Athletico pôde contar. Como jogou a final da Copa Sul-Americana, que adentrou dezembro, o Furacão dispôs de apenas 38 dias entre o fim de 2018 e o começo de 2019.

Estreia do Athletico no sábado. Derrota por 1 a 0 para o Cascavel CR. Foto: André Rodrigues/Gazeta do Povo

A diferença é brutal. Entre os principais europeus, o Borussia Dortmund foi o time que mais tempo teve para férias e preparação antes de iniciar a atual temporada, na qual lidera o campeonato alemão. Foram nada menos que 100 dias. Como os germânicos param de jogar durante o trecho mais rigoroso do inverno, teve mais 29 dias entre dezembro e janeiro.

Outras equipes tiveram menos tempo por inúmeras razões, como o encerramento da temporada anterior retardado por participação em finais de Copas e o início da atual antecipado por terem disputado as chamadas Supercopas, que abrem os trabalhos. Fora de tais compromissos, o Milan contou com 97 dias, o Arsenal 91, assim como Roma e Internazionale, por exemplo.

TABELA: Confira a classificação e os próximos jogos do Paulista

Foto: AFP

Envolvidos na final na Champions League, Real Madrid e Liverpool tiveram menos tempo de intervalo na comparação com alguns rivais, respectivamente 81 e 78 dias. Barcelona (91) e Chelsea (84) descansaram mais. Mesmo assim, todos esses clubes do “Velho Mundo” dispõem de períodos bem maiores que os brasileiros para acomodar compromissos pré-temporada.

Na comparação com os clubes argentinos, cujo calendário está em sintonia com o europeu, começando e terminando no meio do ano, os do Brasil também levam clara desvantagem. Times como o Racing tiveram mais tempo entre a temporada passada e atual do que Liverpool e PSG, que contou com o mesmo número de dias do Boca Juniors em meados de 2018.

Os mais sacrificados, como San Lorenzo e River Plate, que começaram 2018/2018 antes, devido a compromissos válidos pela Copa Argentina, ainda assim tiveram trechos mais longos de férias mais pré-temporada. Foram pelo menos dez dias a mais no comparativo com os clubes que disputam o último Campeonato Brasileiro da Série A.

Tabela: Veja também a classificação do Paranaense

Toda essa diferença é gerada pelo inchaço do calendário nacional, apertado pela existência dos Estaduais em formato obsoleto, incompatível com o futebol de hoje. Há quem alegue que os times pequenos e do interior dependem de confrontos com os grandes para sobreviver, uma muleta desgastada e que não convence há tempos. Os outros países nos mostram isso.

Da Argentina à Inglaterra, passando por Itália e Alemanha, os pequenos jogam divisões abaixo e lutam pelo acesso para conseguir uma aproximação com os maiores clubes. Uma luta movida por critérios técnicos, não políticos, como os que alimentam esse sistema viciado. Nele, as Federações, que elegem os comandantes da CBF, dependem dos Estaduais. “Imexível!”

No entanto, a Rede Globo já não demonstra o mesmo interesse pelos certames regionais. Os motivos são óbvios: baixo nível técnico, jogos inúteis, enfadonhos e audiência que só cai. O “produto” já não vale como antes. Mesmo assim a transformação do calendário brasileiro em algo mais razoável não parece próxima. A politicagem seguirá como forte adversária.

Dias entre o fim da temporada passada e a atual:

🇩🇪 Borussia Dortmund 100 dias*
🇮🇹 Milan 97 dias
🏴󠁧󠁢󠁥󠁮󠁧󠁿 Arsenal 91 dias
🇪🇸 Barcelona 91 dias
🇮🇹 Internazionale 91 dias
🇮🇹 Juventus 91 dias
🇮🇹 Roma 91 dias
🏴󠁧󠁢󠁥󠁮󠁧󠁿 Tottenham 90 dias
🇩🇪 Bayern 85 dias**
🏴󠁧󠁢󠁥󠁮󠁧󠁿 Chelsea 84 dias
🏴󠁧󠁢󠁥󠁮󠁧󠁿 Manchester City 84 dias
🏴󠁧󠁢󠁥󠁮󠁧󠁿 Manchester United 83 dias
🇪🇸 Real Madrid 81 dias
🇦🇷 Racing 79 dias
🏴󠁧󠁢󠁥󠁮󠁧󠁿 Liverpool 78 dias
🇦🇷 Boca Juniors 77 dias
🇫🇷 Paris Saint Germain 77 dias
🇦🇷 San Lorenzo 63 dia
🇦🇷 River Plate 60 dias
🇧🇷 Coritiba 58 dias
🇧🇷 Flamengo 50 dias
🇧🇷 Corinthians 49 dias
🇧🇷 Grêmio 49 dias
🇧🇷 Palmeiras 49 dias
🇧🇷 Paraná 49 dias
🇧🇷 Cruzeiro 48 dias
🇧🇷 Athletico 38 dias

* mais 29 dias no inverno
** mais 28 dias no inverno

Leia mais
>> Trio que fez 137 gols em 13 meses custou menos da metade de Neymar

8 recomendacões para você

 
 
asd