i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
litoral do Pr

Baleia morre ao encalhar na Ilha do Mel: animal tinha muita areia no estômago

Mamífero é da espécie minke e tinha quase 5 m de comprimento

  • PorDa Redação
  • 10/11/2017 10:44
Baleia da espécie minke foi encontrada entre o farol e a ponta leste da Ilha do Mel. | CEM-UFPR/Divulgação
Baleia da espécie minke foi encontrada entre o farol e a ponta leste da Ilha do Mel.| Foto: CEM-UFPR/Divulgação

Uma baleia de quase 5 m de comprimento da espécie minke - uma das menores espécies do mundo - foi encontrada encalhada na Ilha do Mel, no Litoral do Paraná, entre o forte e a ponta leste durante atividades de monitoramento da região. O animal ficou preso na manhã de quarta-feira (8), e, quando uma equipe de biólogos marinhos chegou para prestar atendimento, já havia morrido em decorrência de uma infecção generalizada.

No sistema digestório da baleia, foi encontrada grande quantidade de areia - o que teria sido um dos principais motivos da morte. “Para uma baleia, ter areia no sistema digestório é tão ruim como é quando uma criança come terra, por exemplo”, ilustra a bióloga Camila Domit, do Centro de Estudo do Mar da Universidade Federal do Paraná (CEM-UFPR). Segundo Camila, a presença da substância indica que, provavelmente, o animal esteve encalhado em outra praia e conseguiu retornar ao mar antes de parar na Ilha do Mel.

Segundo a bióloga, a morte da baleia também tem relação com a degradação do ecossistema marítimo. “É uma combinação de condições, entre eles o estado do ecossistema, prejudicada pela falta de saneamento, a poluição química e o óleo de embarcação despejado no mar”, exemplifica Camila.

Segundo a bióloga Camila Domit, morte da baleia também tem relação com a degradação do ecossistema marítimo
CEM-UFPR

A baleia encalhou ainda viva, segundo análide do CEM-UFPR, durante a maré alta. Foi com a volta da maré que acabou ficando presa na faixa de areia e morreu.

Depois da morte, uma equipe de médicos veterinários, biólogos, oceanógrafos e demais técnicos foi deslocada ao local para executar uma necrópsia no corpo do animal. Os órgãos foram analisados e removidos e o esqueleto da baleia foi levado ao CEM-UFPR em Pontal do Paraná. Segundo Camila, o plano é montar o esqueleto para exibição na sede do centro.

Só este ano, a equipe do CEM já encontrou cinco baleias encalhadas no Litoral do Paraná. “É visível que o ecossistema está sofrendo as consequências da degradação marítima”, analisa a bióloga.

Colaborou: Cecília Tümler

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.