i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Lista de falecimentos - 20/08/2015

Anna Maria Comodo: a dona da história

  • PorJosé Carlos Fernandes
  • 20/08/2015 03:00
 | Acervo família Comodo
| Foto: Acervo família Comodo

“O que você sabe fazer?”, perguntou o psiquiatra e analista Paulo de Tarso Monte Serrat, no início dos anos 1980, a uma ansiosa Anna Maria Prince Comodo. Ela estava de volta a Curitiba, depois de décadas longe da cidade. Buscava um rumo. O divã foi seu remédio – ajudou a considerar que era artista, formada em Pintura na primeira turma da Escola de Música e Belas Artes do Paraná, em 1951. Lá se iam 30 anos. Daí em diante, tudo mudou – inclusive o nome. Submetido à numerologia, verteu-se em “Anna Mariah Comodos”.

Madura, Anna retomou a lida no ateliê, a seu personalíssimo modo. Em vez de lamentar o tempo perdido – nutrindo saudade das aulas com Turin, Traple, Viaro – recorreu a uma tríade de talentosas artistas daquela geração: Laura Miranda, Eliane Prolik e Suzana Lobo, suas orientadoras no rentrée. A ousadia lhe caía bem. Faria da parceria com os mais novos uma regra, recorrendo a nomes como a ceramista Alice Yamamura, já falecida, e com quem mais se afinasse. Formou uma rede.

Na tarde de seu velório, os amigos mestres estavam todos lá – Geraldo Leão, Cristina Mendes, a contemporânea Guita Soifer, longa lista... Ao pedido do frade que abençoava o corpo – de que os presentes dissessem uma palavra que definisse Anna Maria – formou-se uma ladainha espontânea, bela e emocionante. As qualidades mais ouvidas foram “juventude”, “alegria” e “generosidade”.

Anna Maria nasceu em 1931, num lar afortunado – estudou no Colégio do Cajuru e no Sion. A mãe, dona Brasileira Prince, vinha de uma dinastia da Lapa, feita de muitas e ruidosas mulheres, “pelo menos 40 com o nome de Anna, formando a linhagem da minha avó, a austríaca Anna Catarina Prince”, lembra a filha única, a psicóloga Anna Christina Lepesqueur Ajuz. O pai era o italiano de Salerno Attilio Comodo, um capitalista, como se dizia, da trupe de proprietários do mítico Cassino do Ahú, homem dado, numa expressão da época, ao bem viver. Tinha carros numa Curitiba que, quando muito, oferecia paralelepípedos às carroças. Uma casa de veraneio em Caiobá, privilégio de uns pingados. A mansão da família Comodo, na Avenida Iguaçu com a Rua Pasteur, foi erguida no estilo normando, mais tarde adulterada, mais tarde demolida, sem piedade. Anna Maria mal podia passar por aquela esquina sem lamentar.

Até os anos 1960, no entorno do casarão havia uma chácara – e as crianças dos donos tinham um pônei, a exemplo da filha de Scarlet O’Hara. Ouvi-la contar de seus mimos de menina tinha o sabor de um filme de época. Shirley Temple, Elizabeth Taylor, Ava Gardner – encarnou cada guarda-roupa. Décadas depois, ao se tornar uma artista de renome, citava com ironia e graça o glamour dos anos em que usou chapéu, luva e vestidos de cintura bem marcada, páreo para as divas. Foi mulher bonita, elegante, prendada – dava conta de bordados à rica e à perfeição. E pouco convencional. Era sua dor e sua delícia. Não ia à esquina sem estar maquiada. Dizia o que pensava.

Serviço

As publicações neste espaço são gratuitas. Faça contato com a Central de Redação, pelo fone (041) 3321-5832, ou por e-mail obituario@gazetadopovo.com.br . As informações constantes na relação de falecimentos são fornecidas pelo Serviço Funerário Municipal. Fone: 3324-9313.

Em 1952, ao se casar com um oficial do Exército em ascensão, o mineiro Romero Lepesqueur, mudou-se para o Rio de Janeiro. As núpcias duraram apenas cinco anos, para surpresa dos que as julgavam um conto de fadas. “Ela não se adaptou às convenções de esposa de general”, conta a filha, sobre uma figura que parecia se antecipar às revoluções. No ano de 1957, na base do “contra tudo e contra todos”, Anna Maria se separou, declarando-se inapta para os espartilhos do matrimônio. Talvez não previsse as sanções silenciosas a que estava sujeita uma mulher desquitada – mesmo vinda da alta-sociedade – na Curitiba dos anos dourados. Não resistiu e se mudou para São Paulo, onde chegou a trabalhar como taquígrafa, um de seus orgulhos, sempre lembrado, debaixo de seu senso de humor digno dos melhores vaudevilles.

Tinha talento invulgar para apelidos e imitações, cujos alvos os parentes mais próximos não entregam. Tornava qualquer ambiente caloroso, seguindo uma receita própria. Espontânea, desarmava o mais severo dos reacionários, se preciso fosse. Fazia graça do reverso da fortuna. Sempre tinha historietas saborosas para contar – alimentadas pelos lugares onde viveu, pelos países que conheceu, pelos amigos e pelo noticiário, sua paixão. Era leitora militante de jornais: recortava-os, destacando notícias que dava às pessoas, sabendo interessá-las.

Sabia quebrar protocolos e desdenhar das rotinas – há cinco ou seis anos, veio à redação da Gazeta do Povo, sem avisar. Fez-se anunciar na portaria, pediu para subir e conhecer a colunista Marleth Silva, de quem era leitora. Em minutos tinha em sua roda não só Marleth como um ruidoso grupo. Pareciam amigos de uma vida inteira, ainda que tivessem acabado de serem apresentados. Assim era Anna Maria – ela dava corda para pôr o mundo em movimento.

Em meio à estranheza que causava nos caretas, o papel de artista lhe fez bem. Ajudou-a a justificar sua fé irrestrita na liberdade. Não era feminista, mas bem rezava nos cânones de Simone de Beauvoir, bússola de sua mocidade. Gostava de levantar tarde, fazer seus próprios horários, conversar com quem bem entendesse, de ser comprometida a seu modo. A “união instável” com o publicitário mineiro Felipe Engler durou 25 anos, sem que ela o nominasse um casamento – pelo menos até 2009, quando o companheiro se foi. Engler levou consigo parte da vitalidade de Anna Maria. Mas nada que afastasse do ateliê. Em maio deste ano, dividiu o Palacete dos Leões, no Alto da Glória, com a incentivadora Eliane Prolik. Estava feliz. Ultrapassou 50 exposições, entre coletivas e individuais. Deixa pela metade o livro 1922: a semana que não terminou, de Marcos Augusto Gonçalves, sobre a Semana de Arte Moderna de 22. Era mãe de Anna Christina e avó de Lucas Ajuz.

Dia 29 de julho, aos 83 anos, em Curitiba, de complicações respiratórias e diabete.
  • Anna Maria Prince Comodo com a mãe, dona Brasileira Maria Prince Comodo, provavelmente em 1932. A mãe era de família da Lapa.
  • Anna Maria, em laço de fita, com o único irmáo Attilio - mesmo nome do pai, o italiano de Salerno Attilio Comodo: infância abastada nos altos da Água Verde,
  • Nos anos 1980, depois de três décadas afastada das artes, Anna Maria resolve assumir sua formação. Recorre à novíssima geração da época para se reciclar.
  • Com o artista plástico Fernando Velloso, de quem foi colega de faculdade na primeira turma da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap). Grupo iniciou aulas em 1948 e concluiu em 1951. No ano seguinte, Anna se casa com o mineiro Romero Lepesqueur, pai de sua filha Anna Cristina.
  • Nos anos 1990, Anna passou a assinar Anna Mariah Comodos, num exercício de numerologia. Mulher elegante, desarmava a todos com seu humor afinado, sempre recheado de boas histórias.
  • “Sem Título” (1999), tela de náilon e arame de alumínio, uma das peças da coleção de vestidos. Mostra foi inspirada no próprio vestuário da artista, que colecionava peças de várias épocas.
  • “Sem Título” (1999), ratoeira, tela e rede de náilon. Coleção foi mostrada no Museu Metropolitano do Portão.
  • “Sem Título” (1999), tela de náilon, pregos, arame de alumínio e cabide. Coleção do Graciosa Country Club.
  • “Resíduo” (1999), objeto feito em tela de náilon, arame de latão e alumínio. Anna Maria era expert em colagens, com papel. Contava ter migrado para o tridimensiona l por sugestão da amiga e orientadora Eliane Prolik.

Lista de falecimentos - 20/08/2015

Abigail Malagoli de Almeida, 61 anos. Profissão: do lar. Filiação: Antônio Malagoli e Dinirah Nogueira Malagoli. Sepultamento ontem.

Altair Valente dos Santos, 24 anos. Profissão: mecânico. Filiação: Aparício Valente dos Santos e Luciana Cardoso dos Santos. Sepultamento ontem.

Antônio Altair Antunes, 67 anos. Profissão: operador(a) máquinas. Filiação: Nestor Antunes e Eloy Izabel de Oliveira Antunes. Sepultamento hoje, no Cemitério Municipal Santa Cândida, saindo de de Jesus Cristo dos Stos dos Últimos Dias - Cajuru - Curitiba (PR).

Atham Gomar Correa, 85 anos. Filiação: Antônio Estevão Correa e Zoe Izaias Correa. Sepultamento hoje, no Cemitério Municipal do Água Verde, saindo da Capela Municipal do Água Verde - Capela 04 Municipal do Água Verde.

Avahyr Natel, 87 anos. Profissão: do lar. Filiação: José de Souza e Anardina Valéria de Souza. Sepultamento hoje, no Cemitério Jardim da Paz, saindo da Capela 02 Cemitério São Francisco de Paula Curitiba -PR.

Braulio Carneiro, 81 anos. Profissão: agricultor. Filiação: Júlio Pádua e Maria Carneiro. Sepultamento hoje, no Cemitério Municipal de Almirante Tamandaré, saindo da Capela Jardim Municipal do Jardim Graziela em Almirante Tamandaré.

Cecília Golar Kuss, 78 anos. Profissão: do lar. Filiação: José Golar e Bronislawa Golar. Sepultamento ontem.

Clementina Pacheco Bruel, 97 anos. Profissão: do lar. Filiação: Antônio dos Santos Pacheco e Ernestina da Rocha Pacheco. Sepultamento ontem.

Dailyn Sulivan Schuindt, 36 anos. Profissão: administrador(a). Filiação: Adelmo Schuindt e Maurina Rodrigues Schuindt. Sepultamento ontem.

Denison José Kramek, 35 anos. Profissão: instrutor(a). Filiação: Antônio Kramek e Terezinha Ferraz Kramek. Sepultamento ontem.

Edmercio Pinto Passos, 77 anos. Profissão: autônomo. Filiação: Almir de Oliveira Passos e Nair Pinto Passos. Sepultamento ontem.

Eurides Moreira dos Santos, 72 anos. Profissão: jardineiro. Filiação: Abílio Moreira dos Santos e Catarina Alves de Jesus. Sepultamento ontem.

Fábio dos Santos Souza, 31 anos. Profissão: pedreiro. Filiação: Francisco dos Santos e Nadir Vitorino de Souza Santos. Sepultamento ontem.

Fátima Pereira dos Santos, 44 anos. Profissão: do lar. Filiação: Miguel Pereira dos Santos e Rosalina Felipa dos Santos. Sepultamento hoje, no Cemitério Parque Senhor do Bonfim (São José dos Pinhais), saindo de residência.

Flávio Henrique de Andrade, 26 anos. Profissão: autônomo. Filiação: Israel da Silva Andrade e Tânia Aparecida Martins Paz. Sepultamento hoje, Cemitério Jardim da Colina (Colombo), saindo da Capela Jardim Adriana. Colombo (PR).

Gilio Scorzato, 90 anos. Profissão: topógrafo(a). Filiação: Gardenio Scorzato e Clara Krainski Scorzato. Sepultamento hoje, no Cemitério Municipal do Água Verde, saindo da Capela 02 Cemitério Municipal Água Verde Curitiba -PR.

Gonçalo Carlos de Melo, 89 anos. Profissão: pedreiro. Filiação: Clemente Carlos de Melo e Josefina Rosa de Jesus. Sepultamento ontem.

Gregório de Freitas, 102 anos. Profissão: funcionário público federal. Filiação: Zoilo Freitas e Albertana Gonzales. Sepultamento hoje, Universal Necrópole Ecumênica Vertical, saindo de Vertical.

Guiomar Carneiro Lopes, 49 anos. Profissão: do lar. Filiação: José Carneiro e Oscalina Dias. Sepultamento ontem.

Ilse Maria Dias da Silva, 44 anos. Profissão: do lar. Filiação: Nicolau Natal da Silva e Edilia de Fátima Dias da Silva. Sepultamento hoje, em local a definir, saindo da Capela do Cemitério de Ijui=Rs.

Iracema Silva Seixas, 79 anos. Profissão: do lar. Filiação: Estaciano Modesto de Souza e Maria Madalena da Silva. Sepultamento hoje, no Cemitério Municipal de Rio Branco do Sul, saindo da Capela Mortuária R.b.s /PR.

Ivo Fischer, 86 anos. Profissão: comerciante. Filiação: Balduino Fischer e Cacilia Fischer. Sepultamento ontem.

Jaime Gonçalves, 55 anos. Profissão: motorista. Filiação: João Nicolau Gonçalves e Juvelina Luíza Cercal Gonçalves. Sepultamento ontem.

Joaquim Aparecido Moura, 57 anos. Profissão: comerciante. Filiação: Fernandes Ferreira Moura e Conceição Alcante Moura. Sepultamento hoje, no Cemitério Paroquial Santa Felicidade, saindo de Santa Felicidade.

Joelson Nascimento de Camargo, 33 anos. Profissão: serralheiro. Filiação: Luiz Bueno de Camargo e Maria Laides do Nascimento de Camargo. Sepultamento hoje, Cemitério Memorial da Vida (São José dos Pinhais), saindo de residência.

José Luizinho de Paula Neves, 76 anos. Profissão: empresário. Filiação: Otrazito de Paula Neves e Wanda de Paula Neves. Sepultamento ontem.

Juventina Maria Korc, 72 anos. Profissão: do lar. Filiação: José Octávio Victório e Gerozina Maria Victório. Sepultamento hoje, no Cemitério Municipal Santa Cândida, saindo de residência.

Layana Barboza dos Santos, 22 anos. Filiação: José Luís de Oliveira dos Santos e Juçara de Fátima Barboza dos Santos. Sepultamento hoje, no Cemitério Municipal da Cidade de Origem, saindo de Igreja de Antonina (PR).

Leozil Ferreira Brasil, 74 anos. Profissão: carpinteiro. Filiação: Donaria Ferreira Brasil Terencio. Sepultamento hoje, Universal Necrópole Ecumênica Vertical, saindo de Rua Pastor Antônio Polito, 1216 - Alto Boqueirão - Curitiba (PR).

Luiz Alberto Pereira, 70 anos. Profissão: metalúrgico. Filiação: Nouzinho Pereira dos Santos e Maria Francisca dos Santos. Sepultamento hoje, Cemitério Padre Pedro Fuss (São José dos Pinhais), saindo da Capela Mortuária Rua Júlio Pereira Sobrinho, 204 Campo de Santana Curitiba -PR.

Luiz Fernando Fuck, 71 anos. Profissão: empresário. Filiação: Jacob Bernardo Fuck Júnior e Maria Matilde Buschle Fuck. Sepultamento hoje, no Cemitério Municipal da Cidade de Origem, saindo da Capela Mortuária de Canoinhas / Sc.

Luzia Rosa de Andrade Franco, 61 anos. Profissão: do lar. Filiação: Manoel Rosa Lopes e Olímpia Silveria Lopes. Sepultamento ontem.

Luzia do Carmo da Silveira da Silva, 42 anos. Profissão: do lar. Filiação: Alfredo Luiz da Silveira e Ercília dos Santos Silveira. Sepultamento hoje, Cemitério Padre Pedro Fuss (São José dos Pinhais), saindo da Capela Jardim Dom Bosco Campo Santana Curitiba (PR)..

Malvina Moreira Félix, 70 anos. Profissão: do lar. Filiação: José Antônio Moreira e Benedita Moreira de Souza. Sepultamento ontem.

Manuella Brant Pereira das Neves Severino, 7 mes(es). Filiação: Erickson Maxsael das Neves Severino e Lorena Brant Pereira. Sepultamento hoje, no Cemitério Municipal da Cidade de Origem, saindo de residência.

Marcos Marins da Costa Vieira, 51 anos. Filiação: Marins da Costa Vieira e Leonilda da Costa Vieira. Sepultamento ontem.

Neusa de Oliveira, 53 anos. Profissão: do lar. Filiação: Arilo Conrado de Oliveira e Arailde Araújo de Oliveira. Sepultamento hoje, no Cemitério Parque Iguaçu.

Nobilina Ferreira Ventura, 73 anos. Filiação: Cícero Ferreira da Silva e Maria Secundina da Silva. Sepultamento hoje, no Cemitério Municipal do Boqueirão, saindo da Capela Municipal do Boqueirão - Capela 02 Municipal do Boqueirão.

Oadia Haj Mussi da Rocha, 93 anos. Profissão: do lar. Filiação: Gabriel Haj Mussi e Salina Haj Mussi. Sepultamento hoje, no Cemitério Jardim da Saudade II (Pinhais), saindo de Vertical.

Olímpia Claudina Soares, 90 anos. Profissão: do lar. Filiação: João Claudino Soares e Maria Tereza Claudina Soares. Sepultamento ontem.

Olivina Maria Rodrigues do Nascimento, 92 anos. Profissão: do lar. Filiação: Francisco Rodrigues Pinto e Catarina de Souza. Sepultamento ontem.

Oswaldo Agnello Botta, 83 anos. Filiação: Domingos Botta e Josephina Rizzitano Botta. Sepultamento hoje, em local a definir, saindo da Capela do Crematório da Vila Alpina São Paulo.

Paulo Lourenço Iachitzki, 53 anos. Profissão: comerciante. Filiação: João Iachitzki e Maria de Jesus Iachitzki. Sepultamento ontem.

Paulo Roberto de Oliveira, 61 anos. Profissão: pedreiro. Filiação: Acilino Batista de Oliveira e Cacilda Bueno de Oliveira. Sepultamento hoje, no Cemitério Paroquial Colônia Orleans, saindo da Capela Mortuária Paroquial do Orleans.

Renato Martins Teixeira, 66 anos. Profissão: despachante. Filiação: Mário Ozório Teixeira e Judith Martins Teixeira. Sepultamento ontem.

Ronaldo da Costa de Luna, 41 anos. Profissão: eletricista. Filiação: Renato Pereira de Luna e Gessi da Costa de Luna. Sepultamento hoje, Santo Ângelo (Campo Largo), saindo da Capela Mortuária Paroquial do Orleans.

Rosa Akiko Matsumoto, 69 anos. Profissão: advogado(a). Filiação: Ioshiharu Matsumoto e Tomie Matsumoto. Sepultamento ontem.

Rosa Deffert, 86 anos. Profissão: do lar. Filiação: Paulo Wactawski e Genoveva Flaukoski Wactawski. Sepultamento ontem.

Sebastiana Pacheco de Oliveira, 78 anos. Profissão: do lar. Filiação: Sebastião José Pacheco e Maria Josina de Jesus. Sepultamento hoje, no Cemitério Municipal Santa Cândida, saindo de Igreja Batista Vitória Com Cristo/ Almirante Tamandaré.

Thereza Maria Malicheski Finato, 75 anos. Profissão: do lar. Filiação: Miguel Malicheski e Leonora Guedert Malicheski. Sepultamento hoje, no Cemitério Jardim da Saudade I, saindo da Capela Mortuária Jardim da Saudade I.

Urcelina Geralda da Silva, 99 anos. Profissão: do lar. Filiação: Pedro Antônio Ferreira e Maria Marcelina da Conceição. Sepultamento ontem.

Victória dos Santos Mesquita, 1 dias. Filiação: Joelcio dos Santos Mesquita e Ana Carolina Santos. Sepultamento hoje, no Cemitério Municipal Bom Jesus dos Passos (Piraquara).

Condolências

Deixe uma homenagem a um dos falecidos
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.