do espaço

Fotógrafo registra Estação Espacial Internacional no céu do Paraná

Fotos da EEI foram feitas por Sérgio Mendonça Jr no Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes Gazeta do Povo.

Assine agora

Esse conteúdo é exclusivo para Assinante Premium.

Assine agoraFaça o upgrade agora
Por Marcos Xavier Vicente
  • [16/11/2017] [09:41]

O fotógrafo Sérgio Mendonça Jr registrou raras imagens da Estação Espacial Internacional (EEI) passando pelo céu do Paraná na noite da última terça-feira (14). Ele fotografou a EEI no Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, a aproximadamente 340 km da Terra - praticamente a mesma distância de Curitiba a São Paulo em linha reta.

Construída entre 1998 e 2011, a Estação Espacial Internacional é um laboratório espacial desenvolvido em colaboração com 15 países para pesquisas e análises fora da órbita da Terra. O Brasil não participa da operação internacional. Atualmente, a EEI é tripulada por seis astronautas: três dos Estados Unidos, dois da Rússia e um da Itália.

- Vídeo - assista a passagem da Estação Espacial Internacional por Curitiba

Publicidade

Essa não é a primeira vez que Mendonça registra a Estação Espacial Internacional no céu do Paraná. Desde 2012, ele faz imagens da EEI, mas nunca havia conseguido flagrá-la em condições tão boas. “Desta vez o céu estava excelente, sem nuvens. Tanto que na hora em que a estação apontou no céu minha adrenalina subiu muito”, comemora o fotógrafo.

Estação Espacial Internacional em órbita. 

Fotógrafo na área industrial, Mendonça tem como hobby registrar imagens astronômicas desde 2001, em especial das estrelas. Como tinha ido a Ponta Grossa a trabalho terça-feira, aproveitou não só para ir à Vila Velha fazer o registro, onde já tem o hábito de fotografar as estrelas, mas também testar uma lente que havia comprado uma semana antes.

Nos cerca de 5 minutos em que a estação passou pelo céu, Mendonça registrou 170 fotos, mas, pela dificuldade de execução da imagem, apenas dez ficaram boas. “Para fotografar perfeitamente seria necessário um telescópio, porque é muito difícil de focar a estação. Ela passa a 27 mil km/h, fica girando o tempo todo e reflete muito a luz do sol”, explica. Visto da Terra, o brilho da EEI é mais intenso no céu do que o de uma estrela comum, podendo ser confundido com um avião. A diferença é que, neste caso, as luzes da estação espacial não piscam, resultado do reflexo dos raios solares em suas placas externas.“Além disso, dos 5 minutos que ela ficou no céu, só 2 minutos deram para aproveitar para fazer foto. É muito rápido”, enfatiza.

Ele também explica que a imagem só não ficou perfeita por causa da resolução - pela distância e condições, o sensor da máquina fotográfica teria que ter uma capacidade muito maior, praticamente as usadas em grandes centros astronômicos.

Publicidade

Curiosidade

Mendonça é acostumado a fotografar astros e mesmo satélites. Mas afirma que a EEI foi o que mais chamou a atenção dos amigos. “Muitos amigos me ligaram terça-feira para pegar dicas de como ver a estação espacial no céu”, relata. A curiosidade, acredita o fotógrafo, vem do fato de a estação ser tripulada por astronautas. “Talvez mais emocionante do que a estação espacial foi só o registro que fiz do cometa McNaught, em 2007”, compara.

Infográficos Gazeta do Povo[Clique para ampliar]

Principais Manchetes

Publicidade

+ na Gazeta

Nossas Convicções

CompletoEm ResumoEm Vídeo

Noticías no celular

WhatsappMessengerRSS