Vereadora de Curitiba Fabiane Rosa (PSD)
Vereadora de Curitiba Fabiane Rosa (PSD)| Foto: Divulgação/CMC

A vereadora de Curitiba Fabiane Rosa (PSD) foi presa na manhã desta segunda-feira (27) pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná (MP-PR). A prisão é de caráter preventivo, por prazo indeterminado, segundo a defesa da parlamentar. Embora o Gaeco não informe oficialmente o motivo da investigação, que corre em segredo de Justiça, a própria defesa diz que o inquérito está relacionado a um suposta prática de “rachadinha”, esquema em que um agente público retém parte dos salários de seus funcionários comissionados.

As notícias mais importantes do Paraná no seu WhatsApp

As denúncias teriam partido de ex-assessores que já não integram mais o gabinete de Fabiane, conforme informado pela defesa e pela assessoria de imprensa da vereadora.

Mais cedo, uma equipe do Gaeco esteve na Câmara Municipal de Curitiba para realização de buscas no gabinete da vereadora. Na sequência, a parlamentar foi conduzida à sede do órgão, no bairro Ahú.

De acordo com o telejornal Meio-Dia Paraná, da RPC, a vereadora será transferida para o presídio feminino de Piraquara, na região metropolitana, onde terá direito a cela especial, por ter curso superior.

No meio da manhã, uma ambulância do Samu foi até a sede do Gaeco para atender Fabiane, que teria apresentado quadro de pressão alta.

À Gazeta do Povo, o advogado Jeffrey Chiquini, que representa a parlamentar, declarou considerar o pedido de prisão “precipitado, amparado em fatos pretéritos e sem sustento probatório”. “Afirmamos que a verdade será restabelecida”, diz.

O gabinete de Fabiane Rosa divulgou a seguinte nota à imprensa:

A vereadora Fabiane Rosa sempre exerceu seu mandato de maneira íntegra e correta. Seus valores refletem o compromisso com a causa que a elegeu. Ela aprovou avanços importantes em prol dos animais: foram 20 leis, como a proibição dos fogos com barulho e punições mais severas para praticantes de maus-tratos.

O objetivo da vereadora, enquanto legisladora, sempre foi falar pelos que não têm voz. A denúncia em questão foi feita por ex-funcionários afastados de suas funções por uma decisão unilateral da vereadora. Não houve qualquer prática ilegal durante o mandato e rapidamente será restabelecida a verdade.

Fabiane é ativista dos direitos dos animais e exerce seu primeiro mandato na Câmara Municipal de Curitiba. Ela foi eleita, em 2016, pelo então Partido Social Democrata Cristão (PSDC), atual Democracia Cristã (DC), com 7.328 votos, tornando-se a mulher mais votada ao cargo de vereadora em Curitiba naquele ano. Em 2020, migrou para o PSD.

10 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]