Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
A nova Curitiba: um roteiro para reencontrar a cidade na pós-pandemia
| Foto: Divulgação

Após mais de um ano e meio de pandemia e meses de confinamento para grande parte da população de Curitiba que pôde se manter dentro de casa, o avanço da vacinação no Brasil se apresenta como uma luz no fim do túnel. Aos poucos, a vida volta a parecer mais como o “velho normal”, com as adaptações necessárias aos novos tempos.

Mas Curitiba já não é mais a mesma — nem os curitibanos. A começar pelo modo que os moradores da capital desejam vivenciar a cidade daqui para frente. Em uma pesquisa realizada pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Lazer, Espaço e Cidade (GEPLEC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), 83% dos moradores da capital que foram entrevistados afirmaram que, quando a pandemia acabar, desejam frequentar espaços públicos ao ar livre como a primeira opção de lazer.

Atrativos a céu aberto para os novos tempos não faltam na capital paranaense. A cidade conta com 1.082 áreas verdes de lazer, incluindo parques, praças e jardinetes, além de 294 estruturas dedicadas ao esporte e à atividade física, das quais 250 são academias ao ar livre, segundo dados de 2020 do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC).

“Nós nunca sentimos tanta vontade de estar junto à natureza e de viver com um equilíbrio melhor entre saúde, trabalho e lazer. Ficamos muito tempo fechados em casa, e esse espaço privado alterou o nosso desejo de estar no espaço público, ao ar livre. A tendência, pelas pesquisas que observamos no mundo inteiro, é qualificar cada vez mais esses espaços e os bairros”, afirma Simone Rechia, professora no programa de pós-graduação em Educação da UFPR e coordenadora do GEPLEC.

Novas formas de experienciar a cidade

Estabelecimentos privados, como cafés, bares e restaurantes, seguem a tendência de promover mais experiências ao ar livre. “Em estudos que realizei em outros países, como Espanha e Portugal, já víamos uma tendência de busca por espaços de lazer em ambientes abertos. Nas últimas décadas, observamos um movimento para ocupar o espaço público, com restaurantes com guarda-sóis e cadeiras de praia na calçada e cafés com mesas na rua. Com a pandemia, essa tendência se fortaleceu”, avalia Rechia. “O cenário pandêmico tensionou a forma como usufruímos a cidade. Ele nos chamou atenção para a forma como vivíamos, nos levando a rever nossos valores, o modo de estar no espaço e as nossas experiências de lazer.”

O movimento de ocupação de parques, praças e ruas já vinha se fortalecendo em Curitiba antes da pandemia, com o surgimento de experiências como a Praça de Bolso do Ciclista — inaugurada em 2014 por iniciativa de voluntários que requalificaram um terreno público abandonado — e a Chafic Curi Boulevard. A última é uma iniciativa de moradores do bairro Vista Alegre que transformaram a rua em que viviam com instalações artísticas e decoração especial para cada época do ano. Inspirados por essa ocupação urbana iniciada em 2016, eles criaram também o Jardim Secreto, nas imediações da Rua Chafic Curi. O espaço ao ar livre que era inutilizado deu lugar a um jardim com paisagismo, bancos e flores, que hoje atrai visitantes de todas as regiões da cidade.

Convidamos você para redescobrir Curitiba. Para isso, selecionamos o que há de novo na cidade — e que vem fazendo sucesso na retomada da vida diurna e noturna curitibana. Listamos também quais foram as principais mudanças nos lugares mais conhecidos da capital paranaense. Confira e escolha seu próximo destino para o reencontro com a cidade.

Cartões-postais de cara nova

Muitos dos pontos turísticos mais famosos de Curitiba ganharam novidades desde o ano de 2020. Entre elas, há desde novos cafés com vistas privilegiadas da cidade, até transformações que surgiram para garantir o lazer com segurança.

Jardim Botânico

O café-escola Senac Jardim Botânico foi inaugurado no último mês de julho.
O café-escola Senac Jardim Botânico foi inaugurado no último mês de julho.| Alexandre Mazzo/Gazeta do Povo

O ponto turístico mais visitado da capital paranaense celebra 30 anos em outubro. É neste mês, também, que a Galeria das Quatro Estações completa um ano. O espaço ocupa a antiga estrutura de metal atrás da famosa estufa do Jardim Botânico. No local, é possível contemplar canteiros com flores e estátuas alusivas às quatro estações do ano.

A mais nova atração da Galeria é o café-escola Senac Jardim Botânico, inaugurado no último mês de julho. A cafeteria com vista privilegiada oferece pratos com um toque paranaense, como a palha paranaense, a coxinha da Lapa e o escondidinho de barreado. Para quem preferir levar os produtos para viagem, são disponibilizados copos biodegradáveis feitos em fibra de bambu.

Jardim Botânico de Curitiba: Rua Eng°. Ostoja Roguski, 690 - Jardim Botânico | Aberto todos os dias, das 6h às 18h (o café-escola funciona das 10h às 18h)

Palácio Belvedere

Curitiba
| Pedro Ribas/SMCS

Ícone do art nouveau em Curitiba, o Palácio Belvedere, no São Francisco, foi reinaugurado em dezembro de 2019. O edifício de madeira foi completamente restaurado depois do incêndio na noite de 6 de dezembro de 2017. Em fevereiro de 2020, o prédio construído em 1915 ganhou um café-escola Senac – além deste e do café do Jardim Botânico, o Senac conta ainda com uma terceira unidade na capital paranaense, no Paço da Liberdade.

A pandemia impediu que o público curitibano aproveitasse o novo café nos primeiros meses após sua inauguração, mas agora esse desejo pode ser saciado. O local que foi reaberto tem o objetivo de contribuir com a cultura gastronômica do estado. Doces típicos, café, erva-mate e culinárias tropeira e caiçara são algumas das opções disponíveis para se deliciar.

Palácio Belvedere e café-escola: Praça João Cândido - São Francisco | Abertos de terça a sexta-feira, das 11h30 às 18h30, e sábados e domingos, das 9h às 15h

Parque São Lourenço

Curitiba
| Leticia Akemi/Arquivo Gazeta do Povo

Este ano também trouxe novidades para o Parque São Lourenço, que recebeu em maio o Memorial Paranista. O espaço cultural é constituído pelo Jardim das Esculturas João Turin e por três edificações interligadas por uma galeria com cobertura de vidro. O local celebra o Paranismo – movimento cultural que buscou a construção de uma identidade regional para o estado.

Com uma área de 6 mil m², o Jardim das Esculturas é o maior do gênero no país. O espaço na área externa é composto de um jardim com elementos paranistas, fontes de água e 13 obras de proporções heroicas do acervo do artista paranaense João Turin. Para visitar as exposições no interior do Memorial Paranista, é necessário realizar o agendamento no site da Prefeitura de Curitiba. As visitas acontecem de hora em hora de terça a sábado, das 10h às 17h.

Parque São Lourenço: Rua José Brusamolin, s/n - São Lourenço | Aberto todos os dias, das 6h às 18h| Agendamento de visitas ao Memorial Paranista: curitiba.pr.gov.br/memorialparanista

Passeio Público

| Alexandre Mazzo/Gazeta do Povo

Quem não visita o Passeio Público desde o início da pandemia vai encontrar uma nova atração quando voltar a frequentar o espaço. É o Coreto Digital, que ocupa a antiga estrutura do coreto erguida pelo prefeito Cândido de Abreu em 1915. A construção ganhou uma grande tela curva de LED, com 25 metros lineares por dois metros de altura e um sistema de som. No local, acontecem sessões de cinema, concertos musicais, contações de história, intervenções de videodança e mostras de artes visuais. E o melhor: tudo de graça e ao ar livre.

Passeio Público de Curitiba | Rua Presidente Carlos Cavalcanti, s/n - Centro | Aberto todos os dias, das 6h às 18h | Programação do Coreto Digital disponível em coretodigital.org

Museu Oscar Niemeyer

Curitiba
| Alexandre Mazzo/Gazeta do Povo

Antes da pandemia, o “parcão” — como é conhecida a área de gramado atrás do Museu Niemeyer — já era um dos espaços ao ar livre preferidos dos curitibanos. Nos fins de semana ensolarados, a cena era sempre a mesma: centenas de pessoas brincando no local com seus cachorros, fazendo piquinique com os amigos e descansando sobre a grama. O local, — que também sediou diversos festivais de música, cultura e gastronomia —, parece estar voltando, aos poucos, à realidade pré-pandêmica. No fim de agosto, por exemplo, a área externa do MON voltou a atrair muitas pessoas para os gramados. Dessa vez, para quem quis acompanhar em tempo real uma intervenção artística que foi realizada pelos irmãos grafiteiros OSGEMEOS na fachada do museu.

E o movimento no MON só deve aumentar daqui para frente. A exposição “OSGEMEOS: Segredos” tem tudo para ser a primeira mostra cultural com mais público da nova Curitiba pós-vacina. A mega-exposição, que segue até abril de 2022, é uma produção original da Pinacoteca. Mesmo em meio à pandemia, o que limitou a capacidade de atendimento, mais de 230 mil pessoas visitaram a mostra em São Paulo. Em Curitiba, a expectativa do museu é que o público atinja pelo menos 190 mil pessoas.

Outra novidade para quem visita o museu é o novo café. Após mais de um ano fechado por conta da pandemia, o Café do MON reabriu no último mês de setembro sob nova gestão. Quem assina o cardápio agora é a Prestinaria, que tem outras três unidades em Curitiba. A princípio, a Prestinaria MON será uma loja pop up com seis meses de duração. O destaque do cardápio são os croissants assados no local e cafés especiais. O atendimento é apenas por retirada no balcão. Para degustar, é possível escolher um lugar nas mesas da área de convívio do museu ou no gramado do MON.

Museu Oscar Niemeyer | Rua Mal. Hermes, 999 - Centro Cívico | Aberto de terça a domingo, das 10h às 18h. A Prestinaria MON funciona diariamente, exceto na segunda, das 9h às 19h

Feira do Largo da Ordem

Curitiba
| Daniel Castellano/SMCS

A tradicional Feira do Largo da Ordem também se transformou por conta da pandemia. Antes da Covid-19, a feira de artesanato funcionava apenas aos domingos. Agora, os sábados também são dias da feira mais famosa da cidade. A medida serve para diminuir o número de barracas na rua, permitindo o distanciamento entre elas e evitando aglomerações.

Feira do Largo da Ordem: Entre a Rua do Rosário e a Rua Martim Afonso - Centro Histórico de Curitiba | Sábado e domingo, das 9h às 14h

Ópera de Arame

| Alexandre Mazzo/Gazeta do Povo

Que tal curtir um dia de música e gastronomia em um dos mais belos cenários de Curitiba? Essa é a proposta do projeto cultural Vale da Música, que funciona na Ópera de Arame desde o fim de 2018. Após alguns meses fechado em decorrência da pandemia, a atração retornou como uma boa opção de entretenimento ao ar livre. A principal atração do Vale da Música é um palco flutuante instalado sobre o lago, onde acontecem shows musicais de terça a domingo, das 10h às 18h. Em frente ao lago onde as bandas se apresentam, há um restaurante com um cardápio inspirado na culinária paranaense. O local também recebe exposições de artes itinerantes. A programação da semana é divulgada toda segunda no Instagram @operadearameoficial.

Ópera de Arame - Vale da Música: Rua João Gava, 920 | Aberto de terça a domingo, das 10h às 18h | Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria da Ópera de Arame por R$14 (inteira) e R$ 7,50 (meia-entrada)

Linha Turismo a R$ 4,50

Curitiba
| Divulgação

Quem quiser visitar essas atrações pode utilizar a Linha Turismo, que está com uma promoção especial de primavera. Até o dia 20 de dezembro, será possível embarcar no ônibus que passa por 26 pontos turísticos da capital paranaense usando o cartão-transporte da URBS, desde que os créditos tenham sido adquiridos por pessoa física. Para cada embarque será debitado o valor da tarifa vigente (R$ 4,50). O benefício é válido para terças, quartas e quintas-feiras, exceto em feriados.

Em 2021, ano em que se comemora o aniversário de 30 anos da Rua 24 horas, a Linha Turismo alterou o ponto inicial do trajeto, que agora começa em frente aos arcos dessa atração turística, na Rua Visconde de Nácar. A Praça Tiradentes, que era o antigo ponto inicial, continua fazendo parte do percurso. É importante lembrar que o visitante pode iniciar o trajeto em qualquer um dos pontos.

Outra novidade da linha especial é que agora ela começa a circular mais cedo, a partir das 8h30. Para quem não tem o cartão-transporte e nos dias da semana em que a promoção de primavera não é válida, o passageiro pode adquirir no próprio ônibus um cartão turismo individual, com pagamento em dinheiro de R$ 50. O ticket dá direito a embarque ilimitados na linha por um período de 24 horas.

Os novos points da cidade

Café Galeria Portfolio

| Divulgação

A Portfolio nasceu em 1998 como escola de fotografia, e desde 2019 funciona também como um espaço com galeria e cafeteria. É o Café Galeria Portfolio, que traz cardápio inspirado na gastronomia latina. O amplo jardim da casa, com mesas ao ar livre, é uma das principais opções do gênero no bairro Juvevê.

Rua Alberto Folloni, 634 - Juvevê | Aberto de quinta a sábado das 12h às 22h, e domingo das 12h às 20h. Todo último domingo do mês é reservado para eventos | @escolaportfolio

SFco 179

A SFco 179 é um verdadeiro refúgio urbano na Rua São Francisco. O espaço ocupa o prédio onde foi o ateliê e casa do escultor Ricardo Tod, criador da Fonte da Memória, mais conhecida como “Cavalo Babão”, no centro do Largo da Ordem. Agora, o imóvel abriga um multiespaço com café, restaurante, galeria de arte contemporânea e lojas com foco no design autoral.

Rua São Francisco, 179 - Centro | Aberto na segunda das 12h às 22h, de terça a sábado das 10h às 22h, e domingo das 12h às 20h | @sfco179

Arnica Cultural

Estúdio musical, aulas de yoga, loja de plantas, bar, cozinha: tem tudo isso em um só lugar, o Arnica Cultural. Os fundos da casa têm um grande quintal ao ar livre com bosque, gramado, árvores e sombra. O local é pet friendly, com direito a menu especial para os pets. Como o espaço está funcionando com capacidade reduzida, é necessário fazer a reserva de mesa antecipadamente pelo Instagram @arnicacultural.

Rua Otelo Queirolo, 237 - Bigorrilho | Aberto aos sábados com yoga das 9h às 10h, brunch das 10h às 15h e bar das 10h às 22h. Aos domingos, o brunch é das 10h às 15h e bar das 10h às 20h

O Vino! Garden

O Vino! Garden apresenta uma seleção com mais de 40 rótulos de vinhos entre tintos, brancos, rosés e espumantes, incluindo opções em taça, que mudam todos os dias. O local fica no entorno de um charmoso jardim, em um casarão com diversos ambientes como varanda, salas internas e quintal.

Rua Clóvis Beviláqua, 321, Cabral (junto ao C´est Si Bon) | Aberto de terça a sexta, das 17h às 22h, e no sábado das 12h às 22h | @vino.cabral

James Garden

Curitiba
| Divulgação

A necessidade de distanciamento físico impossibilitou as festas do James, que precisou se adaptar. Agora, além do bar, o público também pode matar as saudades da casa no James Garden. O espaço a céu aberto oferece drinks, gastronomia e entretenimento.

Alameda Dr. Carlos de Carvalho, 680 - Centro | Aberto na sexta das 18h às 23h, no sábado das 15h às 23h, e no domingo das 15h às 21h | @jamesgardencwb

Fun’iki Rooftop

Outra casa noturna que precisou se transformar em Curitiba foi o Club Vibe, no Batel, conhecido por festas eletrônicas com DJs renomados. O segundo andar do espaço deu lugar a um restaurante japonês contemporâneo, o Fun’iki Rooftop. O espaço que oferece alta coquetelaria tem como cenário uma vista panorâmica para toda a cidade.

Rua Desembargador Motta, 2311 - Batel | Aberto na terça e quarta das 18h à 0h, quinta e sexta das 18h à 1h, e no sábado das 12h30 às 17h e das 18h à 1h | @funikirooftop

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]