O prefeito Rafael Greca e a secretária municipal de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, fizeram dois apelos na entrevista coletiva desta sexta-feira (20) para frear o novo avanço da pandemia de Covid-19: que a população aumente os cuidados com prevenção e que as outras autoridades de saúde reforcem os leitos exclusivos de coronavírus. Já a decisão de mudança ou não da bandeira amarela para laranja, com restrições de algumas atividades, será tomada somente com a análise de mais índices na tarde desta sexta.

O primeiro apelo foi para que a população redobre os cuidados preventivos, principalmente evitando aglomerações. Quinta-feira (19), a capital bateu recorde de novos casos em toda a pandemia, com 1.381 infecções e chegou a 87% de ocupação das UTI. Nesta sexta, seis hospitais de Curitiba já bateram a capacidade máxima de ocupação nas UTIs.

“Nós todos abrimos a guarda, a sociedade abriu a guarda, descuidou da responsabilidade sanitária, principalmente de não promover eventos e aglomerações”, foi enfático o prefeito na abertura da entrevista coletiva. “A gente compreende que são nove meses longos de pandemia, que os jovens, as famílias, os amigos, as igrejas querem se reunir, mas não dá para abrir a guarda”, cobrou Greca.

Nesta sexta, por exemplo, a prefeitura está averiguando a realização de duas festas raves, de música eletrônica. “Não dá para as pessoas se aglomerarem das 10 horas da noite às 7 horas da manhã nessa situação que estamos”, cobrou a secretária Márcia Huçulak.

WhatsApp: receba um boletim diário com notícias do Paraná

O outro apelo feito pela prefeitura é para que toda a rede de saúde, incluindo governo do Paraná, hospitais particulares e prefeituras da região metropolitana, reabram mais leitos exclusivos de Covid-19. Terça-feira (17), a prefeitura de Curitiba anunciou a suspensão de cirurgias eletivas – sem emergência – do SUS em 12 hospitais, o que deve reforçar em mais 24 leitos exclusivos de Covid-19 a partir da semana que vem.

Decisão que o prefeito Rafael Greca pediu que também seja tomada por outras autoridades de saúde.  “Apelo ao governo do estado e colegas das cidades vizinhas para se empenharem no combate ao coronavírus. Peço aos hospitais que acabem com as cirurgias eletivas para termos mais leitos”, pediu Greca.

PODCAST PEQUENO EXPEDIENTE: Recorde de casos, números disparando: relaxamos e o coronavírus aproveitou

Em São José dos Pinhais, por exemplo, a prefeitura de Curitiba solicitou a reabertura de dez leitos de Covid-19 que foram desativados para não sobrecarregar o sistema da capital. “Entrei em contato com a colega da Saúde de São José dos Pinhais para que reabra esses leitos. Nós precisamos deles”, aponta a secretária de Saúde de Curitiba. Em entrevista ao Meio-Dia Paraná desta sexta, a secretária municipal de Saúde de São José dos Pinhais confirmou que vai reabrir os leitos.

Já o secretário Estadual de Saúde, Beto Preto, disse ao Bom Dia Paraná da RPC na manhã desta sexta, antes da coletiva na prefeitura, que por enquanto o estado não vai suspender cirurgias eletivas por ainda não haver necessidade. Entretanto, o governo do estado já avalia a reativação de mais leitos para tratamento de Covid-19.

Estrutura

Greca garantiu que a estrutura de Curitiba segue capaz de suportar a demanda na pandemia. "Nossa estrutura de SUS é robusta, com equipes qualificadas", disse o prefeito na coletiva. O prefeito também informou que está não só reativando aparelhos que estão desligados mas também comprando novos equipamentos para o tratamento de pacientes infectados.

Márcia Huçulak garante que não faltará remédios e equipamentos para as equipes de saúde neste novo avanço da pandemia. "Nosso sistema é dos melhores do Brasil, temos apoio do governo federal, que vais nos oferecer mais monitores [de UTI]", complementou a secretária. "A estrutura já está na cidade. Nosso almoxarifado está abarrotado de EPIs, não vai faltar. Nossas equipes de compras estão repondo materiais. Não está faltando nada nas UPAs e hospitais", garante Márcia.

23 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]