i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
decepção

Parque Tanguá: turistas se frustram com túnel e cascata desativados

Visitantes lamentam que os principais pontos do cartão postal de Curitiba não estejam funcionando

  • PorCecília Tümler
  • 16/01/2018 09:14
Acesso ao túnel do Parque Tanguá está fechado desde o final de 2016. | Jonathan Campos/Gazeta do Povo
Acesso ao túnel do Parque Tanguá está fechado desde o final de 2016.| Foto: Jonathan Campos/Gazeta do Povo

O Parque Tanguá passa pela temporada de verão de 2018, período que muitos turistas querem conhecer um dos principais cartões postais de Curitiba, sofrendo com a falta de manutenção. A lista de problemas começa justamente nos pontos mais buscados pelos visitantes: o túnel sob a pedreira, cujo acesso está bloqueado desde o fim de 2016, e a cascata, que ficou desativada do início de janeiro até esta terça-feira (16), quando voltou a funcionar. O problema também passa pelo fechamento da loja turística e da lanchonete do local e chega até a desativação da cascata principal.

Frustrados, muitos curitibanos e turistas que visitam o parque reclamam da demora em resolver a situação do túnel, especialmente aqueles que escolhem o parque para apresentar a cidade a quem vem de fora. É o caso de Heloisa Colli Moreira, estudante que levou duas amigas de Campo Grande (MS) para conhecer o parque, do qual as meninas muito tinham ouvido falar. “Chegando aqui, demos de cara com a placa dizendo que o túnel estava fechado. E eu tinha falado mil maravilhas justamente daquela parte para elas”, lamenta Heloisa.

- Imagens - Veja fotos das condições do Parque Tanguá

Para quem não sabe quando terá a oportunidade de retornar a Curitiba, então, a frustração é maior: “É muito ruim, porque nós poderíamos ter escolhido outro parque para visitar, mas viemos aqui sabendo que é um dos principais da cidade”, contou a estudante de Campo Grande Laura Batista da Silva. Laura afirma que preferia ter gasto os R$ 27 do Uber indo a outro parque. Mesmo assim, as três jovens deram sorte de não terem desembarcado na parte mais baixa do parque, onde fica a entrada para o túnel: “Nós chegamos por cima e vimos uma placa sobre a desativação. Ainda bem, senão teríamos de subir tudo para ver a outra parte”, conta Heloisa.

Placa indica que o túnel está fechado: quem não vê indicação tem que andar bastante para voltar.Cecília Tümler/Gazeta do Povo

A mesma sorte não acometeu a curitibana Sheila Vaz, supervisora fiscal que trouxe a filha e uma amiga para conhecer o Tanguá, onde o plano era visitar primeiro o túnel. “Estacionei meu carro na parte de baixo, e quando chegamos estava fechado. Tivemos que encarar 15 minutos de caminhada morro acima antes de conhecer qualquer atração”, relata Sheila.

- Leia também - “Confiamos em você”: livraria no Litoral do Paraná não tem funcionários nem seguranças

Ao caminhar pelo parque, não é incomum ouvir reclamações como “antigamente era bonito”. Essa foi justamente a frase escolhida por Áurea Burcoski, curitibana e servidora pública aposentada, para explicar para a filha de 12 anos porque tinha levado uma família de amigos, que veio de Maceió (AL), até lá. “A gente fica envergonhado, porque falamos muito bem daqui. Minha amiga já veio para Curitiba querendo conhecer o Tanguá, mas se decepcionou”, explica Áurea.

Mesmo com os problemas que frustram os turistas, o prefeito Rafael Greca (PMN) postou em sua conta no Facebook um convite para que os curitibanos visitem o parque. Na foto, a cascata está funcionando. “Nossos parques são nossas praias”, afirma o prefeito na postagem. “Aqui, o meu querido Parque Tanguá, que criei em 1996 para curitibanos e curitibinhas. Um dos muitos parques que Curitiba mantém ao longo do rio Barigui”, completa Greca no Facebook.

O que aconteceu?

Segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), o acesso ao túnel do parque Tanguá foi desativado em novembro de 2016 depois de um pedaço do paredão de rochas ter se desprendido em uma tempestade. Por questão de segurança, o local permaneceu interditado. Em nota, a SMMA afirmou que estudos geotécnicos estão em andamento. Apesar de mais de um ano ter se passado desde a interdição, não há prazo para a reabertura do túnel.

Placa explica o motivo de o túnel estar interditado.Jonathan Campos/Gazeta do Povo

Além do túnel, outra importante atração que não estava funcionando é a cascata principal do Tanguá. De acordo com a SMMA, a desativação entre o início de janeiro até esta terça (16) ocorreu após uma queda de energia, causada por raios, que danificou a bomba de água . A secretaria também aponta vandalismo no quadro elétrico como motivo do desligamento. Nesta terça, a cascata principal voltou a funcionar.

Sem lanches nem souvenirs

Comodidade para os visitantes, a loja de produtos turísticos e a lanchonete que ocupavam o interior do Tanguá também deixaram de funcionar. Os espaços ficaram abandonados, causando a incompreensão de quem passa por ali:.“Fica ruim para quem não sabe que é algo temporário chegar e encontrar essas lojas sem nada. Dá a impressão que está tudo meio largado”, acrescenta Sheila Vaz.

Espaço da antiga lanchonete do Tanguá está desocupada.Cecília Tümler/Gazeta do Povo

Já para os comerciantes no entorno do parque, a desativação das duas lojas foi algo positivo. “O nosso movimento aumentou mais ou menos 40% quando as lojas ali de baixo fecharam”, explica a gerente de uma lanchonete da região, que preferiu não se identificar. Segundo a funcionária, o estabelecimento inclusive aproveitou a demanda não atendida para melhorar a oferta de chaveiros de Curitiba e outros souvenires. “Aqui os turistas acham barato. Vendo três chaveiros por R$ 15. Eles compram bastante”, afirma.

O estado atual dos espaços comerciais do interior do parque se deve ao fim do convênio da prefeitura com o Instituto Pró-Cidadania de Curitiba (IPCC), que gerenciava os dois locais. Por isso, a gestão afirma que o problema é temporário. De acordo com a SMMA, a gestão do local foi assumida pela Urbs. “No momento, seguem os estudos para preparação do edital de licitação para exploração”, afirma a secretaria. Não foram especificados prazos para o lançamento do edital.

Veja a foto do parque Tanguá no Facebook do prefeito Rafael Greca

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.