Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Paulo Opuszka é professor de Direito do Trabalho na UFPR
Paulo Opuszka é professor de Direito do Trabalho na UFPR| Foto: Divulgação/UFPR

Em encontro virtual do diretório municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) de Curitiba, neste domingo (5), o professor de Direito da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Paulo Opuszka foi escolhido como candidato da legenda para a disputa à prefeitura da capital paranaense.

RECEBA notícias do Paraná pelo WhatsApp

Opuszka concorria à indicação do partido com o deputado estadual Tadeu Veneri, que decidiu retirar seu nome na sexta-feira (3), em razão de mudanças ocorridas no processo de votação interna. “Aconteceram situações das quais divergimos, com relação à composição dos delegados e à forma como o colégio eleitoral foi alterado na última semana”, diz o parlamentar.

Geralmente a escolha no PT é feita por meio de consulta envolvendo todos os filiados do partido, mas, em razão da pandemia do novo coronavírus, a direção nacional da sigla decidiu que a votação deve ser feita apenas pelos membros dos diretórios municipais – em Curitiba, seriam 44 pessoas.

Um acordo ainda permitiu incluir a participação de representantes de cada uma das nove zonais do partido, totalizando 163 votantes. Trocas de membros por pessoas do chamado Campo Majoritário, mais alinhadas à candidatura de Opuszka, no entanto, prejudicariam Veneri, que tinha apoio de alas mais à esquerda do PT.

Participaram do encontro 110 pessoas, quórum que caiu para 90 no momento da votação. Após o colégio eleitoral decidir pelo não adiamento do encontro, o nome de Opuszka foi homologado por um placar de 80 votos favoráveis e 10 contrários.

Formado em Direito, com mestrado e doutorado pela UFPR e professor de Direito do Trabalho e Processo do Trabalho na mesma instituição, Opuszka diz que vai basear a campanha nos temas mais relevantes para o partido, como a defesa do Sistema Único de Saúde (SUS), a educação, a agricultura familiar e a segurança pública cidadã, que remonta à discussão sobre direitos humanos. “Outro ponto relevante é a democratização do plano diretor e da lei do zoneamento da cidade”, diz.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]