Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

salvamento

Resgate de helicóptero na praia: como veranista deve agir para não atrapalhar

Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas orienta os banhistas a como agir quando a aeronave estiver em socorro

  • Da redação
Equipe do BPMOA faz atendimento em PRaia do Leste: banhista deve ficar atento. | Corpo de Bombeiros
Equipe do BPMOA faz atendimento em PRaia do Leste: banhista deve ficar atento. Corpo de Bombeiros
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O trabalho da equipe do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) não para no litoral durante o verão. Quarta-feira (10), o helicóptero da PM, com apoio de guarda-vidas do Corpo de Bombeiros, retirou do mar em Caiobá três banhistas que estavam se afogando. O trio foi encaminhado pela aeronave à areia da praia, onde recebeu atendimento dos socorristas - infelizmente, um não sobreviveu.

- Leia também - Guaratuba lidera ranking de incidência de raios no Litoral; veja a lista

Por envolver um helicóptero, salvamentos como esse atraem bastante a atenção dos banhistas que estão na areia - muitos dos quais querem até fotografar a aeronave. Tanto a PM, quanto os bombeiros, entretanto, orientam quem está na areia da praia a como se comportar quando a aeronave fizer um resgate para não atrapalhar o trabalho dos socorristas e nem que outras pessoas se firam.

Confira as orientações:

Guarda-sol

- Feche o guarda-sol assim que avistar a aeronave aterrissando. O movimento das hélices cria uma movimentação do ar que pode empurrar o guarda-sol para longe, podendo atingir alguém.

Objetos soltos

- Recolha objetos que estiverem na areia, como brinquedos, cadeira de praia e mesmo latas e garrafas de bebidas. Assim como no caso do guarda-sol, o movimento das hélices cria uma movimentação do ar que pode fazer com que esses objetos se desloquem e atinjam alguém.

Crianças e animais

- Segure crianças e animais de estimação quando a aeronave estiver pousando. A curiosidade ou o susto das crianças e animais, como cachorros, pode pô-los em riscos e atrapalhar o trabalho dos socorristas.

Distância

- Fique, no mínimo, a 50 metros de distância da aeronave. Essa é a distância segura para que os socorristas possam fazer os procedimentos e salvamento. A distância também evita aglomeração em volta do helicóptero, o que pode pôr em risco o público.

Olhos

- O deslocamento de ar causado pelas hélices faz com que a areia voe. Por isso, é essencial proteger não só os seus próprios olhos durante o resgate com a aeronave, como também das crianças.

Siga orientações

- Siga as orientações repassadas pelos policiais e/ou bombeiros que estiverem atendendo a ocorrência.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Curitiba

PUBLICIDADE