i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Indicadores

Ajuste de estoques impulsiona aumento de confiança da indústria

Pesquisa da Fundação Getulio Vargas aponta maior nível da confiança desde março de 2015

    • Agência O Globo
    • 29/01/2016 09:18

    A confiança da indústria avançou em janeiro, frente a dezembro, diante do ajuste de estoques, segundo a Sondagem da Indústria da Fundação Getulio Vargas. O Índice de Confiança da Indústria (ICI) da FGV subiu 2,6 pontos em janeiro, para 78 pontos, frente a 75,4 em dezembro. É o maior nível de confiança desde março de 2015. Segundo a FGV, o ajuste dos estoques foi o principal fator para a melhoria dos dados. A confiança no setor de serviços também avançou. O índice passou de 67,6 pontos em dezembro para 70,4 pontos em janeiro, uma alta de 2,8 pontos.

    Doze dos 19 setores pesquisados pela Sondagem da Indústria registraram aumento da confiança. O índice de situação atual avançou 3,5 pontos, para 78,5 pontos, enquanto o índice de expectativas - que considera o cenário para os próximos seis meses - subiu 1,6 ponto, para 77,9 pontos.

    De acordo com o superintendente Adjunto para Ciclos Econômicos da FGV/IBRE, Aloisio Campelo Jr, a redução dos estoques foi o que mais puxou essa alta considerada expressiva da confiança, graças ao baixo uso da capacidade instalada das indústrias:

    “Associado à percepção de estabilização do nível de demanda, este ajuste de estoques tem colaborado para reduzir o pessimismo, sugerindo um cenário de atenuação das taxas de queda da produção industrial nos próximos meses”.

    Capacidade

    O indicador de nível de estoques passou de 121,6 pontos em dezembro para 117,3 pontos em janeiro. Houve redução da proporção de empresas com estoques excessivos e aumento da parcela de empresas com estoques insuficientes no mês. Já o nível de utilização da capacidade instalada (NUCI) recuou 1,1 ponto percentual em janeiro, atingindo 73,9%, o menor nível da série histórica iniciada em 2001.

    No caso da expectativa do comércio, Silvio Sales, consultor da FGV/IBRE, afirmou que, apesar da redução do pessimismo, a percepção ainda é negativa:

    “Nesse início de ano os indicadores informam uma redução do pessimismo nas empresas de Serviços. No entanto, se de um lado ampliam-se os sinais de que o auge da queda na curva de confiança tenha ficado para trás, de outro é possível perceber que há claro predomínio de uma percepção ainda muito negativa sobre o andamento dos negócios, expressa sobretudo na continuidade da intenção das empresas em prosseguir o ajuste do nível de emprego do setor às novas condições da demanda.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.