i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Setor elétrico

Aneel confirma déficit de cerca de R$ 3 bilhões da CDE em 2014

Diretor-geral da agência disse nesta terça que ainda não há uma solução para a liquidação das distribuidoras de eletricidade referente à compra de energia em novembro

  • PorEstadão Conteúdo
  • 06/01/2015 16:16

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, confirmou nesta terça-feira (06) que a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) teve um déficit de cerca de R$ 3 bilhões em 2014. Os valores que não foram cobertos pelo Tesouro Nacional no ano passado ficarão como restos a pagar para 2015.

Após reunião com o novo ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, Rufino disse ainda não haver solução para a liquidação das distribuidoras de eletricidade referente à compra de energia no mês de novembro.

Os recursos dos dois empréstimos, que juntos somaram R$ 17,8 bilhões, foram suficientes para cobrir a necessidade do setor somente até outubro do ano passado.

As despesas de novembro, que devem ser pagas agora em janeiro, somam cerca de R$ 1,5 bilhão. "Estamos correndo atrás da solução", disse Rufino.

"Uma postergação da data de liquidação é uma alternativa, desde que tenhamos uma solução antes. Uma possibilidade é voltarmos a procurar os bancos", completou, citando o pool de instituições financeiras que participaram dos financiamentos anteriores.

Segundo Rufino, a possibilidade de um novo empréstimo dependerá das condições de mercado. De acordo com ele, o novo ministro da Fazenda, Joaquim Levy, ainda será procurado por Braga para discutir a questão.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.