i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Energia

Aneel regulamenta compensação das perdas com ICMS

Ressarcimento só poderá ser feito para cobrir eventuais perdas de receitas tributárias ocorridas nos 24 meses seguintes à interligação da região ao sistema. Esse prazo está limitado a 31 de dezembro de 2013

  • PorAgência Estado
  • 15/09/2010 12:00

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estabeleceu limites para o ressarcimento que será feito aos estados que perderem arrecadação de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) por causa da interligação ao sistema elétrico nacional. Resolução da agência publicada hoje no Diário Oficial da União regulamenta a compensação, criada pelo governo em julho do ano passado por meio de Medida Provisória (MP). Segundo a Aneel, o ressarcimento só poderá ser feito para cobrir eventuais perdas de receitas tributárias ocorridas nos 24 meses seguintes à interligação da região ao sistema. Esse prazo está limitado a 31 de dezembro de 2013.

A interligação de regiões hoje isoladas - localizadas, principalmente, no Norte do País - ao sistema interligado de transmissão de energia faz com que seja reduzida a necessidade de geração de energia em termelétricas movidas a diesel ou óleo combustível. Hoje, porções significativas da região amazônica têm sua energia produzida nessas usinas.

Apesar de reduzir o custo da energia e diminuir a emissão de dióxido de carbono, o desligamento dessas usinas térmicas, por conta da interligação, reduz a arrecadação do ICMS cobrado sobre o óleo queimado nessas centrais. Por conta disso, por muito tempo a interligação do sistema foi vista com ressalvas por governadores da Região Norte, que não queriam perder essa receita tributária.

Para conseguir viabilizar politicamente a interligação dos sistemas de transmissão - por meio do qual a energia das hidrelétricas de outras regiões do País poderá chegar à Região Norte - o governo decidiu, há mais de um ano, criar essa compensação, hoje regulamentada pela Aneel. Conforme anunciado na época, o ressarcimento será feito por meio da cobrança de uma alíquota de 0,3% sobre a receita operacional líquida das empresas de distribuição. Esse adicional será cobrado até dezembro de 2012, conforme a resolução publicada hoje pela Aneel.

A regulamentação aprovada pela agência prevê a possibilidade de devolução de parte dos recursos para as distribuidoras caso, em janeiro de 2014 - depois, portanto, que terminar a compensação aos Estados -, for observado que houve sobras.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.