Na guerra do varejo, a batalha hoje está mais entre mães e namorados do que entre mães e pais, segundo o consultor de varejo Eugênio Foganholo. Para ele, a comemoração dos apaixonados já disputa, de perto, a segunda colocação com o Dia das Mães. "O Dia dos Pais hoje é a quarta data. Entre as grandes comemorações, o Dia dos Namorados é a que mais vem crescendo nos últimos 10 anos." O superintendente do ParkShopping Barigui, Dennis Seixas, vai mais além. "Para nós, o Dia dos Namorados é o segundo Natal", diz. "Isso porque o conceito se expandiu e os casados também presenteiam, por exemplo. Além disso, a data abrange um número maior de segmentos de produtos." O Dia dos Pais é mais concentrado em eletrônicos e vestuários, enquanto as mães são normalmente presenteadas com jóias, roupas e eletrodomésticos. De acordo com Seixas, a data não é ruim para os negócios do shopping, mas não é mais tão expressiva. Na relação entre mães e pais, o superintendente diz que a data de maio ainda está em vantagem. "O movimento é entre 5% e 10% menor no Dia dos Pais, em relação ao Dia das Mães."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]