i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Aviação Comercial

Sem Avianca, rota Rio-São Paulo é a menos concorrida entre as 20 mais movimentadas do mundo

  • PorVandré Kramer
  • 06/06/2019 17:37
Avianca-suspensao-voos
A Anac suspendeu as operações da Avianca Brasil| Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O voo entre os aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e o Santos Dumont, no Rio de Janeiro, é a quarta rota doméstica mais movimentada do mundo, segundo a OAG, uma empresa de inteligência de transporte aéreo. E, com a suspensão das operações da Avianca, determinada no final de maio pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), tornou-se a menos concorrida entre as 20 rotas domésticas mais movimentadas, com só duas operadoras: a Latam Airlines e a Gol.

Mesmo com a presença da Avianca as duas empresas aéreas tinham posição dominante na rota que é o filé mignon da aviação comercial brasileira: 80% dos 39,7 mil voos realizados entre março de 2018 e fevereiro de 2019 estavam nas mãos das duas empresas.

O grau de concentração é próximo à da ligação entre as duas principais cidades australianas. Melbourne e Sydney, onde duas empresas - Qantas e Virgin Australia - foram responsáveis por 77% dos voos. Só que a rota é operada por quatro companhias.

A rota doméstica mais movimentada do mundo, a ligação entre o aeroporto de Gimpo, em Seul, e o balneário de Jeju, na Coreia do Sul, é disputada por sete empresas. Mesmo número que outras duas que estão entre as 20 mais movimentadas: Xangai-Shenzhen, na China, e Bengaluru-Déli, na Índia.

Mesmo as outras rotas da América Latina que estão entre as mais movimentadas do mundo tem mais concorrentes: a ligação entre as duas principais cidades colombianas, Bogotá e Medellín é feita por três empresas, e a de Lima a Cuzco, por seis.

O aumento na concentração na rota Rio-São Paulo veio acompanhado por um aumento das passagens. Nos 11 dias anteriores à suspensão dos voos da Avianca, o preço médio de uma passagem ida-e-volta era de R$ 415, segundo o buscador de passagens Kayak. Nos 11 dias posteriores, esse valor saltou para R$ 498, uma alta de 20%.

Azul fez tentativas para adquirir Avianca

Quem está buscando um filão desse mercado é a Azul, a terceira maior empresa aérea brasileira em share. Mas ela enfrenta uma barreira, a pequena presença no aeroporto de Congonhas. Latam Airlines e Gol eram responsáveis, no início do ano, por 87,4% das operações. Segundo a Anac, a grande participação das duas empresas deve-se a “direitos históricos” que elas têm.

Expectativas de ampliar a presença no terminal são difíceis no curto prazo. O retorno dos slots da Avianca Brasil à agência reguladora só pode acontecer em três hipóteses: no caso de decretação de falência, no final da temporada ou por devolução temporária.

O órgão informou, por meio de nota, que, embora a agência monitore semanalmente a situação da Avianca e das demais empresas aéreas, o destino dos slots da Avianca não é uma decisão que caiba à Anac neste momento.

Desde que a Avianca entrou em recuperação judicial, em dezembro, a Azul fez duas tentativas para adquirir os ativos. Uma primeira tentativa foi feito em março, quando foi feita uma proposta de US$ 105 milhões por ativos selecionados: o certificado de operador da Avianca, 70 slots (direitos de pouso e decolagem) e 30 aeronaves Airbus 320.

A proposta foi retirada pela Azul. O principal credor, o fundo Elliott, apresentou outra: o fatiamento da Avianca em sete unidades produtivas isoladas (UPIs), com a Latam e a Gol ofertando US$ 70 milhões, cada uma, por uma das UPIs.

Outra foi feita em maio pela Azul, quando a Avianca só estava operando com cinco aviões: US$ 145 milhões por um pacote de slots, incluindo os que permitiriam à empresa voar entre Congonhas e Santos Dumont. A proposta foi rejeitada pela Justiça.

Estratégia da Azul muda para as redes sociais

A Azul até pode estar desistido da compra dos ativos da Avianca. Mas não desistiu do plano de reforçar suas operações em Congonhas.

A estratégia é fazer campanha nas redes sociais, como o Facebook, Twitter e  Instagram para convencer a Anac para aumentar a concorrência entre as aéreas no terminal da capital paulista. Segundo a Infraero, no primeiro quadrimestre passaram 7,52 milhões de passageiros pelo aeroporto, 5,3% a mais do que no mesmo período do ano passado. No começo do ano, 87,7% das operações eram feitas pela Latam e pela Gol. As restantes pela Azul e pela Avianca.

Procurada, a empresa não dá muitas pistas sobre a ação. Por meio de nota, informou que:

O que podemos dizer é que a Azul acredita que os brasileiros merecem uma terceira opção em Congonhas, diminuindo a concentração de mercado que hoje é protagonizada pelo duopólio formado por Latam e Gol. Todas as mais de 100 cidades onde a Azul opera estão abertas para concorrência e o único aeroporto onde não podemos crescer é em Congonhas. Essa campanha nas redes promove justamente isso. A companhia acredita que hoje há um caminho possível e que as autoridades, como Cade e Anac, farão a escolha certa.

Nota da Azul
3 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 3 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • B

    Bernardo Coelho

    ± 0 minutos

    Depois a galera põe a culpa na bagagem. Sem concorrência os preços nunca vão cair. Sem falar no dólar a 3,85 (o combustível é precificado em dólar) e no ICMS absurdo que alguns estados cobram das cias aéreas.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Afonso Celso Frega Beraldi

    ± 1 horas

    Adivinhem o que vai acontecer com os preços???

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Flavio Teixeira

    ± 3 horas

    Pela abertura total das linhas domésticas já! Chega de sermos explorados. Por poucas empresas. Vamos ser por mais...

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.