i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Hidrocarbonetos

Bolívia garante o gás, mas não o preço

  • PorAgência Brasil/Gazeta do Povo Online
  • 04/05/2006 14:30

Atualizado em 04/05/2006 às 17h50

A reunião dos quatro chefes de estado da América Latina para debater a estatização das empresas ligadas ao gás e ao petróleo na Bolívia terminou em Puerto Iguazú, na Argentina sem uma conclusão clara. O presidente Evo Morales, segundo a Agência Brasil, órgão oficial de divulgação do governo brasileiro, afirmou que não deverá interromper o fornecimento de gás ao Brasil. No entanto, o preço do gás ainda será negociado, o que significa que deve subir.

Estiveram reunidos o presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o presidente boliviano Evo Morales e outros dois chefes de Estado: Néstor Kirchner, da Argentina, e Hugo Chávez, da Venezuela

Lula afirmou que o preço do gás será discutido "da forma mais democrática possível entre as partes envolvidas". O presidente explicou que as pendências serão discutidas bilateralmente entre o governo da Bolívia e do Brasil. Para ele, o encontro, serviu para demonstrar que é assim que se faz negociação entre duas nações. "Pressupõem que apresentemos ao mundo um bom entendimento, um bom diálogo, e que passamos aos investidores estrangeiros em cada país a certeza de que nós não queremos continuar sendo um continente eternamente pobre", ressaltou.

Preço deve subir

A Agência Boliviana de Informação (ABI) divulgou texto nesta quinta-feira na qual o presidente da Bolívia, Evo Morales, afirma que o preço do gás extraído no país irá aumentar. "Sim, Brasil e Argentina têm que aumentar o preço do gás que estão comprando. Segundo o acordo, os preços já deveriam ter sido revisados em 2004. Lamento que os governos não tenham feito isso", diz Morales, à ABI, agência oficial de comunicação do país

No texto, o presidente boliviano explica que a reunião desta quinta com os presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e da Argentina, Néstor Kirchner, não é para negociações, mas para levar adiante a integração energética da região sul-americana. "A nacionalização é uma decisão soberana e não negociaremos nada sobre esse tema", afirma Morales.

Petrobras não aceita

Na quarta-feira, o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, disse que o Brasil respeitará as decisões do governo boliviano de controlar as refinarias e de aumentar os impostos sobre a produção de gás e petróleo no país, a partir do decreto que nacionaliza as reservas da Bolívia.

Contudo, Gabrielli ressaltou que não aceitará um aumento no preço do gás que é exportado ao Brasil. De acordo com a Petrobras, o contrato entre a empresa e o governo boliviano sobre comercialização prevê, inclusive, a arbitragem de um tribunal de Nova York.

Veja imagens do encontro na reportagem em vídeo do ParanáTV

Leia mais:

Leia a declaração dos presidentes da Argentina, Bolívia, Brasil e Venezuela divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.