Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Rafael Matsunaga/Rafael Matsunaga/Fotos Públicas
| Foto: Rafael Matsunaga/Rafael Matsunaga/Fotos Públicas

Foi por volta das 14h45 que o Ibovespa, o índice que reúne os principais papeis da Bolsa brasileira (65 ativos de 62 empresas), bateu os 100 mil pontos nesta segunda-feira (18). No dia, o índice fechou em 99.9993 pontos, uma alta de 0,86% em relação ao pregão anterior.  O recorde anterior, de 99.136 pontos, foi registrado na sexta-feira (15).

+LEIA TAMBÉM: Reforma de Previdência e economia mundial mais fraca devem deixar Bolsa e dólar mais agitados

O movimento de alta é influenciado internamente pela expectativa em torno da reforma da Previdência, incluindo a entrega do projeto que trata da aposentadoria dos militares, e também da primeira reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) de 2019, na qual vários analistas esperam que seja anunciada uma redução de juros, em função, principalmente, da economia andando devagar.

Externamente, as expectativas estão voltadas para a reunião do Fomc, o comitê do Fed, o banco central americano, na qual, esperam os analistas, deverá ser anunciada a manutenção dos juros básicos da economia dos Estados Unidos. 

Considerada a inflação, no entanto, o recorde real da Bolsa brasileira continua sendo o de 2008. Levantamento da consultoria Economatica divulgado pelo G1 e pela coluna de Miriram Leitão no jornal O Globo mostra que os 73.516 pontos atingidos no dia 20 de maio de 2008 ainda representam um giro maior, já que corrigidos pelo IPCA representariam 134.917 pontos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]