i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Manteve Bolsa Família

Bolsonaro desiste de criar Renda Brasil após Economia propor congelar aposentadorias e cortar benefícios

  • Brasília
  • 15/09/2020 10:13
  • Atualizado em 15/09/2020 às 17:38
Ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente Jair Bolsonaro: queda no PIB poderia ter sido mais feia, mas não foi.
Ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente Jair Bolsonaro.| Foto: Sérgio Lima/AFP

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) desistiu de criar o programa social Renda Brasil, que ia substituir o auxílio emergencial e o Bolsa Família. A decisão aconteceu após a equipe econômica propor congelar aposentadorias e pensões por dois anos e restringir o Benefício de Prestação Continuada (BPC). O BPC é pago para idosos e pessoas com deficiência pobres.

"Até 2022, no meu governo, está proibido falar em Renda Brasil, vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final", disse o presidente em vídeo postado em suas redes sociais na manhã desta terça-feira (15). O Renda Brasil seria uma versão turbinada do Bolsa Família, porém mais cara, pois a ideia era aumentar o benefício mensal médio e o número de família atendidas.

Bolsonaro completou que foi surpreendido pelas ideias da equipe econômica para viabilizar o Renda Brasil. Ele classificou as medidas estudadas como "devaneio de alguém que está desconectado com a realidade".

Ele disse que quem, porventura, vier a propor ações como essa no seu governo, ele dará um cartão vermelho. "É gente que não tem um mínimo de consideração."

"Congelar aposentadorias, cortar auxílio para idosos e pobres com deficiência, um devaneio de alguém que está desconectado com a realidade. Como já disse jamais tiraria dinheiro dos pobres para dar aos paupérrimos", escreveu.

Equipe econômica reage

As ideias sobre as alternativas para reformulação do Renda Brasil partiram da equipe econômica. Elas foram divulgadas pelo secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues Júnior, em entrevistas a veículos de imprensa nesta semana. Waldery é um dos oito secretários especiais de Guedes. É considerado braço-direito do ministro.

O ministro Paulo Guedes (Economia) chegou a desmarcar uma palestra que faria virtualmente nesta terça pela manhã, pois foi chamado pelo Bolsonaro ao Palácio do Planalto para dar esclarecimentos.

Mas, depois, Guedes acabou participando do Painel Telebrasil 2020 e comentou a reação do presidente. O ministro negou que o cartão vermelho tenha sido dado a ele e disse que a mídia distorceu a ideia proposta para a viabilização do Renda Brasil.

"Lamentei muito essas interpretações. Criaram uma narrativa falsa, não era isso que estava sendo discutido", disse Guedes, acrescentando que o objetivo era desindexar, desvincular e desobrigar todo o Orçamento, e não apenas restringir a ação a aposentadorias e benefícios como o seguro-desemprego e BPC.

Antes das declarações do ministro, parte da equipe econômica havia concedido coletiva nesta manhã para apresentar as projeções do PIB. Na ocasião, o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, não atendeu aos pedidos da imprensa para comentar a decisão de Bolsonaro de desistir do Renda Brasil e de dar "cartão vermelho" a quem propusesse congelar aposentadorias. "Não cabe a mim tecer comentários", se limitou a dizer.

Entenda a polêmica do Renda Brasil

A ideia de criar o Renda Brasil foi um pedido do Palácio do Planalto. O objetivo era ter um programa social com a marca do governo Bolsonaro e ao mesmo tempo dar uma continuidade ao auxílio emergencial, que está sendo pago neste ano aos trabalhadores informais em virtude da pandemia do novo coronavírus. A criação do programa estava sendo discutida desde meados de junho.

Para viabilizar o programa a partir de 2021, a equipe econômica propôs primeiro acabar com benefícios sociais considerados ineficientes, como o abono salarial e o seguro-defeso. Porém, o presidente vetou a ideia, pois considerou tirar dos "pobres" para dar aos "paupérrimos".

Então, a equipe econômica começou a trabalhar com outras hipóteses. As mais recentes foram congelar aposentadorias e pensões por dois anos e restringir o acesso ao BPC e ao seguro-desemprego. Essas soluções desagradaram o presidente, que pôs fim à ideia de criar o Renda Brasil.

O corte de alguns programas seria necessário para viabilizar o Renda Brasil, pois não há espaço no teto de gastos no Orçamento de 2021. O teto é o mecanismo que estabelece qual é o limite das despesas do governo em um ano com base na variação dos 12 meses anteriores.

O Renda Brasil deveria custar cerca de R$ 50 bilhões por ano, já que o pedido do presidente era para pagar um auxílio mensal de R$ 300 a mais ou menos 22 milhões de família. Para efeitos de comparação, o Orçamento do Bolsa Família para 2021 é de R$ 35 bilhões.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.