i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Tensão no mercado financeiro

Bovespa cai 3,97% e dólar sobe para R$ 2,31

Mercado foi interrompido nesta sexta-feira pela 3ª vez na semana. Ibovespa teve 7ª queda seguida e acumula perdas de 44% no ano

  • PorG1/Globo.com
  • 10/10/2008 15:48
Bovespa contribuiu para que algumas empresas importantes enfrentem dificuldades com posicionamentos financeiros em dólar | Paulo Whitaker / Reuters
Bovespa contribuiu para que algumas empresas importantes enfrentem dificuldades com posicionamentos financeiros em dólar| Foto: Paulo Whitaker / Reuters

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) reduziu suas perdas - que ultrapassaram 10% pela manhã, interrompendo o pregão - no fim da tarde desta sexta-feira e fechou em baixa de 3,97%, marcando 35.609 pontos, registrando a sétima sessão seguida de desvalorização.

Na semana, o mercado financeiro brasileiro acumulou perda de 20,01%. No mês de outubro, o índice registra 28,12% de baixa - a única alta no mês foi na quarta-feira da semana passada, dia 1º. No acumulado de 2008, a baixa superou 44%.

Ações

No fim do pregão volátil, figuravam nas maiores baixas empresas como a JBS Friboi (-14%), Gafisa (-14%), Embraer (-10%) e Lojas Renner (-10%). Entre as ações mais negociadas, o papel da Petrobras caiu mais de 7%, enquanto o da Vale recuou 1%. O volume financeiro negociado foi de R$ 5,4 bilhões.

Na bolsa paulista, contribuiu para o pessimismo o fato de algumas empresas importantes enfrentem dificuldades com posicionamentos financeiros em dólar. Nesta sexta, o Grupo Votorantim, que tem o capital fechado, anunciou perda de R$ 2,2 bilhões com operações de swap com verificação em dólar. Aracruz e Sadia haviam tido o mesmo problema. No mundo todo, os mercados sofreram fortes perdas com o alastramento da crise. A exceção foi o índice Dow Jones, nos EUA, que se recuperou no fim do pregão após cair mais de 8%, ajudando o resultado da Bovespa. O indicador-referência para Nova York teve baixa 1,49%. Em discurso, o presidente Bush disse que está agindo "e continuará a agir" para restaurar a estabilidade.

O índice FTSEurofirst 300 - que reúne os principais índices da Europa -despencou 7,6%, para 849 pontos, o menor patamar de fechamento desde 2 de julho de 2003. Em Londres, o índice FTSE-100 fechou com queda de 8,85%. O índice DAX 30 da Bolsa de Frankfurt desabou 7,01% e o CAX-40, de Paris, mergulhou 7,73%. Na Ásia, as bolsas registraram seu pior dia desde o início da crise. Em Tóquio, o índice Nikkei chegou a recuar 11,38%. Acabou fechando no vermelho de 9,62%, seu pior desempenho desde 28 de maio de 2003. Na Rússia, o mercado de Moscou, que registrou quedas diárias de 18%, continou fechado nesta sexta-feira, apesar de aprovação de pacote de ajuda a bancos.

Numa tentativa de alavancar o mercado, o Banco do Japão (BOJ) forneceu 3,5 trilhões de ienes (US$ 35,4 bilhões) para aliviar a situação do setor financeiro. A turbulência derrubou a companhia de seguros japonesa Yamato Life Insurance, que pediu a proteção da lei de falências.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng encerrou em queda acentuada de 7,19%. Em Seul, a bolsa sul-coreana mergulhou 4,13%. A Bolsa de Valores de Xangai resistiu aos índices alarmantes dos principais mercados asiáticos, mas também encerrou o pregão no vermelho: 3,57%.

Medidas drásticas

Para tentar conter o caos dos mercados, o governo dos EUA está estudando duas medidas drásticas para tentar resolver os problemas dos mercados financeiros, segundo reportagem do "Wall Street Journal" desta sexta: garantir bilhões de dólares em dívida bancária e assegurar temporariamente todos os depósitos em bancos no país. Se as decisões forem implementadas, elas significarão a mais ampla intervenção governamental já ocorrida no sistema.

Os investidores também acompanham o encontro do G7 em Washington, que reúne economista e presidentes de bancos centrais das economias desenvolvidas. As discussões serão sobre a crise e possíveis soluções globais que evitem o colapso econômico no mundo tudo.

Os países do G20, do qual faz parte o Brasil, se reúnem no sábado. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, também cumprem agenda nesta sexta em Washington.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.