i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Caged

Brasil cria 313 mil vagas formais de emprego em setembro, o melhor mês de 2020

  • Brasília
  • 29/10/2020 16:30
  • Atualizado em 29/10/2020 às 16:53
Geração de empregos apurada pelo Caged registrou em setembro o melhor resultado para um mês em todo o ano de 2020 até agora.
Geração de empregos apurada pelo Caged registrou em setembro o melhor resultado para um mês em todo o ano de 2020 até agora.| Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

Pelo terceiro mês consecutivo, o Brasil registrou saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada, em um sinal de retomada do mercado de trabalho após o baque causado pela pandemia de coronavírus. Foram criados 313.564 postos de trabalho em setembro. O resultado é decorrente de 1.379.509 admissões e 1.065.945 desligamentos. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados nesta quinta-feira (29) pelo Ministério da Economia.

O resultado de setembro foi o melhor para um mês em todo o ano de 2020 até agora. Também foi o melhor resultado para meses de setembro desde o início da série histórica, em 1992. Até então, o melhor valor em setembro tinha sido registrado em 2008, quando foram abertas 282.841 vagas com carteira assinada.

Todos os setores da economia brasileira registram saldo positivo em setembro de 2020. O desempenho do mês foi puxado principalmente pela indústria da transformação, que abriu 108.283 vagas. O setor de serviços abriu 80.481; no comércio, foram 69.239 novos postos; na construção, 45.249; e na agropecuária, 7.751.

As cinco regiões do país também registraram saldo positivo em setembro. A alta no Nordeste foi a maior: 1,38%, em relação ao ano passado, com 85.336 novos postos. Depois, aparece o Norte, com aumento de 1,15% e 20.640 novas vagas de emprego com carteira assinada. No Sul, a alta foi de 0,85% e 60.319 novas vagas; no Sudeste, 0,65% e 128.094; e no Centro-Oeste, 0,59% e 19.194 novas vagas.

"Estamos criando emprego por três meses seguidos e em ritmo crescente", comemorou o ministro da Economia, Paulo Guedes, em coletiva de imprensa virtual nesta quinta-feira (29). "Todas as regiões e os setores criaram vagas em setembro. Isso configura o fenômeno da volta em V da economia brasileira. Mesmo os serviço que estavam com dificuldades criaram 80 mil empregos. Temos claramente a volta em V da economia", completou.

Acumulado do ano no Caged

No acumulado do ano até setembro, o dado de geração de vagas é negativo. Foram fechados 558.597 postos de trabalho, resultado de 10.617.333 admissões e 11.175.930 desligamentos. O resultado é influenciado pela crise causada pela Covid-19.

No primeiro semestre do ano, quando estados e municípios adotaram medidas de isolamento social, foram fechadas 1,19 milhão de vagas de trabalho com carteira assinada . Segundo dados do Caged, 1,53 milhão de postos de trabalho perdidos foram perdido no auge da pandemia, de março a junho, sendo o fundo do poço tendo sido registrado em abril (menos 918,2 mil vagas).

O resultado negativo começou a ser revertido neste segundo semestre. Em julho, foram criadas 131 mil vagas, mês que encerrou o ciclo negativo de quatro meses de demissões. Em agosto, foram mais 294,4 mil postos de trabalho. E agora em setembro, 313 mil vagas, o melhor mês do ano.

O ministro Paulo Guedes também destacou que o resultado acumulado do ano, apesar de ainda negativo, é menor que a perda registrada na última recessão econômica, entre 2015 e 2016. Isso demonstra, na sua visão, que as medidas do governo surtiram efeito. Em 2015, de janeiro a setembro, o país fechou 657,7 mil vagas. Em 2016, no mesmo período, foram fechadas 683,6 mil vagas.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • E

    Eduardo P.

    ± 9 horas

    Pela comparação do período da pandemia 2020 com a recessão Dilma 2015/16 percebe-se que até uma pandemia mundial é menos destrutiva para os empregos do q um governo petista.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Rogério R

    ± 12 horas

    Tudo culpa do Bolsonaro!!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]