i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Novo "Minha Casa"

Câmara aprova texto-base do programa habitacional Casa Verde e Amarela

  • 03/12/2020 16:57
  • Atualizado em 03/12/2020 às 20:30
Cerimônia de lançamento do programa Casa Verde e Amarela: Câmara aprovou MP que criou nova ação
Cerimônia de lançamento do programa Casa Verde e Amarela: Câmara aprovou MP que criou nova ação| Foto: Marcos Corrêa/PR

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (3) um substitutivo da medida provisória 996/20, que criou o programa habitacional Casa Verde e Amarela e substitui o Minha Casa, Minha Vida. O objetivo da ação é ampliar o acesso à moradia em três eixos principais: regularização fundiária, melhoria habitacional e taxas de juros reduzidas para a população de baixa renda.

Após mais de seis horas de discussão, o texto teve 367 votos favoráveis e apenas 7 contrários, além de uma abstenção. Além disso, 63 parlamentares marcaram posição como obstrução. O plenário rejeitou todos os destaques e emendas ao projeto que tentavam alterar o texto-base.

A MP, agora transformada em Projeto de Lei de Conversão, ainda precisa ser analisada pelo Senado, para que não perca a validade. O prazo final para votação da pauta pelo Congresso é 2 de fevereiro – o recesso parlamentar está previsto para ocorrer entre 23 de dezembro e 1º de fevereiro.

O novo programa, que havia sido lançado em agosto, basicamente amplia a área de atuação do Minha Casa, Minha Vida, criado em 2009 no governo Lula. O Casa Verde e Amarela focará em três faixas de renda (até R$ 2 mil; de R$ 2 mil a R$ 4 mil; e de R$ 4 mil a R$ 7 mil) e pretende oferecer financiamentos com taxas de juros em torno de 5% ao ano.

Isso poderá variar de acordo com a região. O objetivo é que, partindo dos atuais 4,75% ao ano, a taxa de juros caia para 4,25% para mutuários do Norte e Nordeste e 4,5% para outras regiões, em uma ação customizada para o público de menor renda.

O relatório do deputado Isnaldo Bulhões Jr. (MDB-AL) manteve o desenho proposto pelo governo, sem acatar muitas emendas sugeridas pela oposição, cujo objetivo era de aumentar os benefícios do programa e buscar mais recursos para ampliar a construção de novas casas para a parcela mais carente da população.

Relator destaca melhorias no programa

Para o relator Isnaldo Bulhões Júnior, a proposta do Casa Verde e Amarela melhora e amplia o Minha Casa, Minha Vida. “O programa não está agora restrito à mera construção física de unidades habitacionais, mas amplia seu alcance envolvendo regularização fundiária, infraestrutura, sociabilidade e oferta de equipamentos de serviços públicos”, destacou.

Ele ainda esclareceu que o modelo atual de financiamento não será extinto, mas continuará ativo até o término dos contratos. A proposta teve mais de 500 emendas, e o relator acatou algumas. Ele promoveu alterações no texto do Executivo e destacou cinco pontos que modificou:

  • tratamento diferenciado a classes mais vulneráveis;
  • inserção de pequenos empreendedores e entidades sem fins lucrativos;
  • medidas de transparência sobre a execução física e orçamentária do programa;
  • necessidade de incorporação de novidades tecnológicas nos empreendimentos;
  • facilidade de doação de bens imóveis da União para políticas públicas de habitação, dando preferência a projetos que gerem maior número de unidades, e não por contrapartida pecuniária.

A oposição, que trabalhou para obstruir a votação, alegava que o texto era um retrocesso em relação às políticas de financiamento habitacional, por excluir famílias com renda de até R$ 1,8 mil mensais, e por não definir teto de pagamento para as prestações.

Sessão foi marcada por intensa obstrução da oposição

A sessão de pauta única foi marcada por uma intensa obstrução da oposição, que considera o projeto falho e avalia que a MP 1.000, que trata da prorrogação do auxílio emergencial em parcelas de R$ 300, deveria ser apresentada antes. Desde que a sessão foi aberta, a oposição interpôs uma série de requerimentos, solicitando adiamento da sessão, retirada do assunto de pauta ou tipo de votação. Essa obstrução tomou a maior parte do tempo da sessão, que se estendeu ao longo da tarde.

A votação do texto-base foi concluída pouco antes das 17 horas e a sessão foi encerrada com a rejeição de todos os destaques por volta de 19h40.

Meta do Casa Verde e Amarela é ampliar atendimento

Quando lançado o programa Casa Verde e Amarela, o governo estabeleceu como meta o atendimento a 1,6 milhão de famílias de baixa renda com o financiamento habitacional até 2024. Isso representa um avanço de 350 mil moradias em relação a atual capacidade de atendimento. A diminuição da taxa de juros deverá incluir mais famílias de baixa renda, que poderão financiar os imóveis.

Apesar da ampliação, o orçamento total to programa cairá: de R$ 9 bilhões, passou para R$ 7,5 bilhões nos próximos quatro anos. Para conseguir executar mais, o governo apostou na diminuição da remuneração da Caixa Econômica Federal, que é o agente financeiro do programa, após negociações com o Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que subsidia a ação.

A expectativa do governo é de que essas 350 mil unidades "extras" gerem 2,3 milhões de novos empregos e revertam até R$ 11 bilhões em arrecadação e movimentação da atividade econômica no período de quatro anos.

Outras frentes do Casa Verde e Amarela apostam na renegociação de dívidas, especialmente na “faixa 1”, regularização fundiária e retomada de obras paralisadas.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 1 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • A

    Astro

    ± 1 horas

    Nada como pegar um programa que já existe, mudar de nome e chamar de seu. Esse é o Brasil!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso