i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Pé no freio

China aumenta juros para frear economia que cresce demais

  • PorReuters/O Globo Online
  • 21/07/2007 11:39

Um dia depois de o governo da China anunciar um crescimento da economia de 11,9% no segundo trimestre, o maior em 12 anos, o Banco Popular da China, o BC do país, anunciou uma nova elevação das taxas de juros da economia.

As taxas para depósitos de um ano foram elevadas em 0,27 ponto percentual, para 3,33%, enquanto as de empréstimo subiram também em 0,27 ponto, para 6,84%. A medida valerá a partir deste sábado.

Esta é a terceira vez em 2007 que a China eleva a taxa de juro de um ano, recordou a agência oficial de notícias Xinhua. A decisão, segundo o BC chinês, visa a racionalizar o crescimento do empréstimo e do investimento, ajustar e estabilizar a expectativa de inflação e manter a estabilidade de preço, como salientou em nota em sua página eletrônica.

A decisão foi conhecida um dia depois de o governo anunciar um crescimento de 11,9% da economia chinesa no segundo trimestre na comparação com um ano antes e uma expansão de 11,5% nos primeiros seis meses do ano. A inflação do país também cresceu acima do esperado, em 4,4% em junho, na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Desde 27 de abril de 2006, o BC chinês já aumentou as taxas cinco vezes.

Para compensar o impacto da elevada inflação sobre as taxas reais dos depósitos, o governo de Pequim reduziu um imposto sobre as receitas geradas por juros, de 20% para 5%. A medida também tem como objetivo fazer com que os investidores tenham menos incentivos para apostar na alta do mercado de ações.

"Este ajuste de taxas de juros ajuda o crescimento razoável do crédito e do investimento, a ajustar e estabilizar as expectativas sobre a inflação e a manter uma estabilidade básica do nível geral de preços", disse o BC chinês em um comunicado.

Para analistas, a expansão da economia chinesa deverá beneficar o Brasil , uma vez que o país é um grande comprador de commodities brasileiras.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

    Fim dos comentários.