i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Boletim

Economia assume a “cara” de Dilma

  • PorGuido Orgis
  • 18/12/2015 18:56

Aos poucos, a política econômica volta a ganhar plenamente a “cara” da presidente Dilma Rousseff, para quem a fórmula de dar estímulos ao crescimento é o caminho para o desenvolvimento do país. A troca no Ministério da Fazenda é apenas a forma de o governo assumir que nunca quis de fato uma política que partisse da arrumação fiscal e das reformas propostas por Joaquim Levy.

O ciclo recessivo não chegou ao fim. A confiança das empresas vai continuar baixa, influenciada pelo processo errático do impeachment. Até a decisão sobre o processo, teremos uma espécie de gestão-tampão com Nelson Barbosa, sem garantia de que ele poderá olhar para o longo prazo e com a cobrança de Dilma para que haja alguma melhora antes de a inflação e o desemprego se tornarem motivo de protestos por sua saída. Não é um cenário muito promissor, a não ser que o governo acelere medidas que não dependem do Congresso.

Levy pode não entregar o cargo com bons números para mostrar, mas pelo menos vinha articulando propostas com potencial de arrumar o país no médio prazo. Retirar subsídios e desonerações, desatar o nó das pedaladas e costurar propostas de reforma tributária são coisas necessárias para o país.Várias delas podem não prosseguir com Barbosa.

Lei do Bem

A Medida Provisória 694/2015, que retira benefícios previstos na Lei do Bem, tramita no Congresso e preocupa instituições de pesquisa e aceleradoras no Paraná. Vários projetos em parceria com a iniciativa privada eram custeados com desonerações fiscais previstas na lei e que podem deixar de valer se a medida for aprovada como quer o governo. Para essas instituições, recompor as fontes de financiamento pode levar bastante tempo.

Indústria

A indústria brasileira deve fechar o ano com sua maior queda dos últimos anos. Em novembro, o indicador de atividade da CNI foi o menor desde 2010, quando começou a série histórica da pesquisa. Foram cinco anos seguidos de queda crescente no indicador para o mês. A utilização da capacidade instalada do setor foi de 66% em novembro, sete pontos percentuais abaixo do registrado em 2014.

Em alta

Juros

O Fed puxou o gatilho e elevou os juros, colocando fim à política de juros zero. A decisão deve tornar o dinheiro mais caro para todos no mercado externo.

Em baixa

Barreiras

O novo governo da Argentina deu o primeiro passo para reintroduzir o país na economia global ao reduzir barreiras à importação e impostos para a exportação.

Ecopetrol

A maldição do petróleo não é exclusividade brasileira. A colombiana Ecopetrol, que por algum tempo se tornou a maior empresa da América Latina, não vem conseguindo cumprir suas metas de produção. Seu valor de mercado caiu mais de 50% em um ano porque a empresa vem frustrando a expectativa de que encontraria mais petróleo em seus campos - a projeção para este ano caiu de 1 milhão de barris por dia para 760 mil barris.

Guarapuava

Foram iniciadas na última semana as obras de construção do Shopping Cidade dos Lagos, em Guarapuava. O empreendimento é uma associação da Cilla com o grupo Rotesma, dono do Shopping Pátio Chapecó. O empreendimento terá 112 lojas e 40 mil metros quadrados de área construída e ficará perto do campus da UTFPR, área em que há um grande complexo imobiliário com vários projetos confirmados.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.