i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Investimento

Construção propõe estímulo ao crescimento

  • PorRosana Félix
  • 13/12/2006 17:35

A União Nacional da Construção (UNC) entrega hoje ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) proposta do setor para contribuir com o crescimento da economia brasileira. O plano, elaborado pela Fundação Getúlio Vargas, aponta para a necessidade de investimentos de R$ 206 bilhões – a maior parte do setor privado – no período entre 2007 e 2010. O Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-PR), que participa da UNC, também propõe a extinção da multa de 10% do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) dos funcionários demitidos, alíquota que o governo federal quer destinar para o financiamento de habitação para classe baixa.

O documento da UNC sugere a aplicação de R$ 160 bilhões da iniciativa privada e R$ 46 bilhões do poder público na manutenção e ampliação da malha rodoviária federal, no aumento da capacidade de geração e distribuição de energia elétrica e em obras de saneamento básico e de habitação social.

O presidente do Sinduscon-PR, Júlio Araújo Filho, diz que o investimento privado depende de marcos regulatórios do governo federal, mas que todas as ações propostas são viáveis dentro do prazo de quatro anos. "Não temos dúvida de que a construção civil, sendo tomadas as atitudes sugeridas, vai ajudar muito o crescimento do PIB [Produto Interno Bruto] brasileiro", afirmou.

Araújo Filho disse ainda que o setor não apóia a iniciativa do governo federal de manter a multa adicional do FGTS – 10%, pagos ao governo no caso de demissão sem justa causa, para financiamento dos expurgos de planos econômicos de 1989 e 1990. Os expurgos terminam de ser pagos neste ano.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.