i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Análise

Consumidor americano vai pagar pelo muro de Trump. Entenda

Sobretaxa a importações desemboca em preços mais caros no varejo

  • PorGuido Orgis
  • 27/01/2017 08:13
 | HERIKA MARTINEZ/AFP
| Foto: HERIKA MARTINEZ/AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tem o direito de terminar a construção do muro na divisa entre seu país e o México, mas passar a conta para o outro lado da fronteira não é assim tão simples. Ele diz que vai sobretaxar os produtos mexicanos em 20% até recolher em impostos o que for gasto na obra, estimada em US$ 20 bilhões. O problema é que nenhum centavo desse dinheiro vai sair do bolso dos mexicanos.

O imposto de importação é estipulado pelo país importador e cobrado na passagem dos produtos pela alfândega. Dessa forma, quem paga é o importador, que repassa o custo maior para os seus clientes. Uma sobretaxa eleva os preços cobrados dos consumidores. Se o caminho para a construção do muro for a sobretaxa, o americano comum, que compra produtos Made in Mexico, vai pagar a conta.

É claro que, para maquiar esse fato, Trump pode argumentar que, ao sobretaxar os produtos mexicanos, ele estará criando uma dificuldade para que eles possam competir no mercado americano, o que poderia levar a uma redução das margens de lucro. Esse é um efeito colateral possível, mas não garantido. Muitas vezes, as cadeias de fornecimento são difíceis de mudar – trocar fornecedores pode ser mais difícil do que repassar um aumento de custo para o consumidor americano. Além disso, o importador pode trocar o produto mexicano por outro um pouco mais caro (mas com preço abaixo da sobretaxa de 20%). O consumidor bancaria a diferença de preço de qualquer maneira.

Trump também não pode esquecer que as regras do comércio internacional permitiriam que o México abrisse um contencioso para questionar a sobretaxa. Os impostos de importação precisam ser lineares para todos os países fornecedores, fora exceções, como acordos comerciais, decisões em contenciosos da Organização Mundial do Comércio (OMC) e investigações anti-dumping. Chutar as regras da OMC pode abrir uma guerra comercial que no fim custaria caro para consumidores dos dois lados da fronteira.

O populismo não está alinhado com a busca pela prosperidade. Os acordos comerciais dos quais os EUA fazem parte beneficiaram amplamente o país, que compra o que precisa com custos menores. Vale a pena abrir mão disso em troca de empregos industriais em setores nos quais as empresas americanas não são muito competitivas? Um estudo do Instituto Peterson de Economia Mundial calculou que uma guerra comercial entre EUA, México e China pode custar 4,8 milhões de empregos americanos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.