i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Votações importantes

Em recado ao Congresso, Tesouro diz que próximas semanas serão definitivas para o rumo das contas públicas

  • Brasília
  • 26/11/2020 15:21
  • Atualizado em 26/11/2020 às 16:35
O Pronampe é destinado a microempresas com faturamento de até R$ 360 mil por ano e pequenas empresas com faturamento anual de R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões.
O Pronampe é destinado a microempresas com faturamento de até R$ 360 mil por ano e pequenas empresas com faturamento anual de R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões.| Foto: MArcello Casal Jr/Agência Bras

Em um recado ao Congresso, o Tesouro Nacional afirmou, por meio de nota, que as próximas quatro semanas serão definitivas para o rumo das contas públicas no Brasil nos próximos cinco ou dez anos.

A secretaria do Ministério da Economia diz que, diante do alto rombo nas contas públicas e do alto endividamento público, causados pela pandemia de Covid-19, é preciso que o país retome a agenda de consolidação fiscal, com aprovação de propostas que reduzam as despesas obrigatórias.

Caso contrário, afirma o Tesouro, o cenário será de desgaste, com alta dos juros e baixo crescimento. "Diante do déficit primário de R$ 681 bilhões acumulado neste ano até outubro e da projeção de endividamento em torno de 95% do PIB, torna-se fundamental a retomada de um ambiente de gastos compatível com a realidade fiscal brasileira", diz.

"Para isso, é necessário garantir que gastos temporários sejam de fato temporários, sem transbordamentos das despesas de 2020 para 2021, bem como que se reestabeleçam as discussões sobre avanços na agenda fiscal e na de produtividade", completa.

O Tesouro argumenta, ainda, que um passo importante em direção à consolidação fiscal foi dado em 2019, com a aprovação da reforma da Previdência, mas é preciso continuar avançando ainda em 2020 com as PECs do Pacto Federativo, Emergencial e dos Fundos.

As três propostas combatem o crescimento persistente das despesas obrigatórias – em especial, de pessoal – e à rigidez orçamentária, o que contribuiria para aumentar o espaço orçamentário para fazer novas políticas públicas e investir em infraestrutura e programas sociais, relata o Tesouro.

Já pelo lado da produtividade, seria importante a aprovação dos novos marcos legais da cabotagem, do gás natural e das ferrovias. Todos já estão em tramitação no Congresso e trariam mais previsibilidade aos investidores, abririam o mercado à iniciativa privada e destravariam investimentos, na visão do governo.

Mas, caso o Congresso não aprove os projetos ainda em 2020, o secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, disse que "não é o fim do mundo", desde que haja o compromisso com o ajuste fiscal e o teto de gastos no próximo ano.

Ele avalia que a aprovação das PECs fiscais reduziria a incerteza sobre a trajetória da despesa além de 2022, além de abrir espaço no Orçamento em 2021, mas que essa discussão pode ser feita com "mais calma" no começo do ano que vem, se o Congresso julgar necessário. A mesma avaliação foi feita no caso dos projetos regulatórios.

Situação das contas públicas é delicada

A avaliação do Tesouro Nacional foi um recado ao Congresso, que deve votar no próximo mês a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e começar a analisar o Orçamento de 2021. Também devem entrar nas discussões a criação ou não de um novo programa social e a aprovação ou não da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que reduz despesas obrigatórias, como salários de servidores.

Há a preocupação entre agentes do mercado financeiro que os parlamentares acabem aproveitando as sessões tradicionalmente tumultuadas de fim de ano para flexibilizar o teto de gastos e aprovar medidas de aumento de gastos públicos. O teto impede o crescimento desordenado das despesas, mas vem sendo questionado por parlamentares de diferentes correntes ideológicas.

O Tesouro é contra a extensão para 2021 de gastos temporários, como o auxílio emergencial, além da criação de novas despesas. "A retomada do processo de consolidação fiscal passa pela garantia de que despesas temporárias não se tornem permanentes e pela discussão sobre o crescimento das despesas obrigatórias, reduzindo as incertezas sobre a trajetória futura do gasto público e robustecendo nossas regras fiscais, como o teto de gastos, base da ancoragem das expectativas, da recente queda de juros no Brasil e do aumento da confiança dos agentes econômicos", explica em nota.

Para o Tesouro, somente com a retomada da agenda de controle fiscal e manutenção do teto de gastos será possível ter um crescimento sustentável. "Somente desta forma, a retomada do crescimento observada neste segundo semestre de 2020 e esperada para 2021 poderá se traduzir em avanço sustentável para 2022 em diante, baseado nos investimentos privados, que são geradores de emprego e renda", explica.

"Sem reformas estruturais e com desgaste das regras fiscais, o cenário é oposto a este, com alta do juro e baixo crescimento", conclui.

5 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 5 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • P

    Paulo César de Castro Silveira

    26/11/2020 22:06:19

    Em quantos bilhões o déficit cresceu com a pandemia? O dinheiro foi gasto no que? Só no coronavaucher? E quanto do déficit se deve à queda de receita e não em aumento de gastos? E quanto do déficit foi empréstimo a empresas e portanto dinheiro que ainda pode voltar?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • S

      Sr. Walker

      26/11/2020 20:13:46

      Como sempre a mensagem do governo (executivo) é: a semana que vem nós......... Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • S

        S..

        26/11/2020 19:15:00

        DOS MESMOS AUTORES DAS REFORMAS DESNECESSÁRIAS

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • J

          J. Neto

          26/11/2020 19:13:25

          Os parlamentares têm a obrigação de decidirem o que é melhor para o país! Parem de querer votar pensando só em reeleição. Não ao loackdown e não ao auxílio emergencial. Simples assim. Não tem mais recursos. Não forcem a barra.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • T

            TIAGO

            26/11/2020 18:48:21

            Se dependemos do Congresso então se preparem para o pior.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            Fim dos comentários.