i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Negócios

Copel lança empresa para comercializar energia

Companhia reestrutura área de participações e decide entrar com força no mercado livre de eletricidade

  • PorGuido Orgis
  • 29/01/2016 13:01
 | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

A Copel decidiu entrar no mercado de comercialização de energia elétrica com o lançamento da Copel Comercialização SA. A subsidiária foi criada a partir da reestruturação da Copel Participações SA, que muda de nome e de função.

Com a reestruturação, a gestão que era feita pela Copel Participações será assumida pela área de controladoria da holding. Ao mesmo tempo, a estrutura do braço de participações passa a se dedicar à ao novo negócio de comercialização, área que vem crescendo no país e que pode se tornar uma nova fonte de receitas para a companhia.

A Copel Participações era uma subsidiária que tinha como objetivo gerir ativos nos quais a empresa tinha alguma participação, como usinas, linhas de transmissão e negócios em saneamento. A gestão desses negócios, no entanto, era compartilhada com as áreas operacionais. Com a mudança, a controladoria da empresa passa a analisar atos de gestão, como indicadores operacionais e balanços, ao mesmo tempo em que a gestão operacional dos negócios ganha mais autonomia.

“Não havia uma distinção muito clara entre as áreas de gestão. A mudança vai tornar mais eficiente a administração das participações”, esclarece o diretor presidente da Copel Participações, Reinhold Stephanes.

A estrutura antes dedicada a gerir participações será o embrião do negócio de comercialização. Ele será responsável por fazer a ponte entre geradores e grandes consumidores de energia, que estão no mercado livre – no qual o consumidor escolhe de qual gerador compra a eletricidade.

Esse mercado já representa 30% do consumo no Brasil e tende a crescer porque pode garantir custos menores e mais estáveis aos consumidores, em especial na indústria. O primeiro objetivo da comercializadora é expandir a venda de energia da própria Copel no mercado livre. Hoje, cerca de 20% das vendas da empresa são nesse segmento.

“Calculamos que temos hoje mil clientes que poderiam migrar para o mercado livre. Desses, cerca de 200 já indicaram que querem mudar”, conta Stephanes. Para a Copel, ter uma empresa própria para atender esse mercado pode acelerar a transição dos clientes e abrir um novo mercado, que hoje é dominado por cerca de dez grandes comercializadoras. “Em um segundo momento, vamos entrar no mercado em geral comprando e vendendo energia. A tendência é que o mercado livre seja maior que o cativo”, completa o executivo.

Essa não é a primeira incursão da Copel na comercialização de energia. No fim dos anos 90, a companhia participou do lançamento de uma empresa nesse segmento em parceria com sócios privados. O negócio foi desfeito após denúncias de que havia causado prejuízos à estatal.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.