i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Contas públicas

Corte prevê economia mensal de apenas 0,1% do Orçamento anual de despesas

Em números absolutos, o Ministério da Educação é o órgão que terá, conforme o decreto, o maior corte nas despesas mensalmente de R$ 586,8 milhões

  • PorEstadão Conteúdo
  • 08/01/2015 16:11

O corte nos gastos determinados nesta quinta-feira (8), via decreto presidencial, prevê uma economia por mês de apenas 0,1% do Orçamento anual da União em despesas.

A previsão do Orçamento de 2015 - que ainda falta ir à votação no plenário do Congresso - é que todas as despesas da máquina pública federal custem R$ 1 9 trilhão no ano. O decreto estipula uma restrição orçamentária dos órgãos, fundos e entidades do Poder Executivo de quase R$ 1,9 bilhão por mês.

Em números absolutos, o Ministério da Educação é o órgão que terá, conforme o decreto, o maior corte nas despesas mensalmente de R$ 586,8 milhões.

No discurso de posse do segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff alçou a educação à prioridade da sua gestão ao lançar o lema "Brasil, pátria educadora" e entregou a pasta, pela primeira vez em governos do PT, para um aliado não petista, o ex-governador do Ceará Cid Gomes (PROS).

Os ministérios da Defesa e das Cidades ficam em segundo e terceiro lugares em termos de cortes por mês com, respectivamente, R$ 156,4 milhões e R$ 144,4 milhões.

Defesa vai ser comandada pelo ex-governador da Bahia Jaques Wagner (PT), tido como o novo homem forte do governo Dilma. Já Cidades saiu das mãos do PP para o neoaliado PSD, com o ex-prefeito de São Paulo e presidente do partido, Gilberto Kassab. Somente Educação Defesa e Cidades vão responder, mensalmente, por 47% do corte anunciado.

Redução

Quando se pega as despesas em termos proporcionais, ou seja, em relação ao Orçamento total do ano de 2015, a Secretaria da Micro e Pequena Empresa, que tem status de ministério, é a que mais perde. A pasta sofrerá uma redução mensal de 1,64% do previsto para pagar suas contas. A secretaria terá um corte de R$ 1,5 milhão por mês. O total previsto para o orçamento de despesas para Micro e Pequena Empresa é de R$ 94,8 milhões em 2015.

O Ministério da Ciência e Tecnologia é o segundo que mais perde proporcionalmente, com corte de 1,34% por mês (que representa R$ 130,9 milhões). No total, a pasta, que a partir deste ano começa a ser comanda pelo PCdoB, tem um orçamento previsto de R$ 9,7 bilhões em 2015.

Em seguida, a vice-Presidência da República terá um corte mensal de 1,27% (redução de apenas R$ 150,5 mil). O orçamento previsto para o vice Michel Temer (PMDB) é de R$ 12 9 milhões neste ano.

Ajuste

Os cortes anunciados nesta quinta são tratados pela equipe econômica do governo como uma sinalização para o mercado e para investidores externos e internos de rigor e comprometimento com as contas públicas neste ano.

A expectativa é que essa "tesourada" vigore provisoriamente, até o final de fevereiro e início de março. Será neste momento em que o Congresso Nacional deve aprovar o Orçamento geral da União de 2015.

Após a futura aprovação do Orçamento, o governo terá de divulgar o primeiro decreto de programação orçamentária que virá com o corte definitivo das despesas, necessário para o cumprimento da meta fiscal deste ano, fixada em R$ 66,3 bilhões.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.