i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
trabalho

Cunha adia para agosto votação do projeto que dobra remuneração do FGTS

Pelo projeto, a remuneração do fundo sobe para 6,17% ao ano mais TR, a mesma da poupança

    • Estadão Conteúdo
    • 07/07/2015 15:57

    O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), decidiu adiar para agosto a votação do projeto apadrinhado por ele que dobra a remuneração do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A correção do fundo hoje é 3% ao ano mais TR. Pelo projeto, a remuneração sobe para 6,17% ao ano mais TR, a mesma da poupança.

    Cunha se reuniu com representantes da indústria da construção que pediram a ele que desistisse desse projeto e encampasse a proposta do setor para que parte do superávit do FGTS fosse dividido entre os trabalhadores. Cunha, porém, está convicto da necessidade de aumentar a remuneração paga aos trabalhadores pela aplicação da poupança forçada que são obrigados a fazer por meio do recolhimento ao FGTS. Nos últimos anos, a remuneração do FGTS foi inferior à inflação.

    Para evitar demissões, governo bancará parte de salário do trabalhador

    Medida provisória lançada pelo Planalto permitirá redução da jornada de trabalho e das remunerações em momentos de crise ou queda expressiva da produção

    Leia a matéria completa

    Habitação

    Antes dessa reunião entre Cunha e o setor, o próprio governo já havia apelado ao presidente da Câmara para que adiasse o projeto porque ele poderia colocar em risco a viabilidade do lançamento da terceira etapa do Programa Minha Casa Minha Vida.

    Isso porque os recursos do FGTS são usados para custear os juros subsidiados de financiamentos aos setores de habitação, saneamento e infraestrutura. O governo e os setores argumentam que, se houver aumento na remuneração paga aos trabalhadores, esses financiamentos sairão mais caros.

    Cunha apresentou esse projeto no Dia do Trabalho, em 1º de maio, como tentativa de suavizar as críticas à Câmara pela aprovação do projeto que regulamenta a terceirização no país. Na semana passada, os deputados aprovaram a urgência do projeto do FGTS e Cunha havia prometido pôr a matéria em votação esta semana.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.