i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Construção civil

Custo da construção desacelera alta em agosto, diz FGV

Índice acumula altas de ,76% no ano e de 7,09% em 12 meses. Cinco das sete capitais analisadas registraram desaceleração

  • PorAgência Estado
  • 26/08/2014 06:20

O Índice Nacional de Custo da Construção - Mercado (INCC-M) ficou em 0,19% em agosto, mostrando desaceleração ante a alta de 0,80% registrada em julho, divulgou nesta terça-feira (26) a Fundação Getulio Vargas (FGV). A taxa ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas do mercado financeiro consultados pelo AE Projeções (que iam de 0,15% a 0,38%) e abaixo da mediana de 0,25%. Até agosto, o INCC-M acumula altas de 5,76% no ano e de 7,09% em 12 meses.

O grupo materiais, equipamentos e serviços registrou variação positiva de 0,15% em agosto, após o avanço de 0,45% apurado na leitura do mês anterior. Já o índice relativo à mão-de-obra, por sua vez, teve alta 0,23%, após ficar positivo em 1,11% em maio.

Cinco das sete capitais analisadas registraram desaceleração em suas taxas de variação em agosto ante julho: Brasília (de 3,26% para 0,37%), Belo Horizonte (de 0,12% para 0,10%), Rio de Janeiro (de 0,10% para 0,08%), Porto Alegre (de 2,90% para 0 95%) e São Paulo (de 0,24% para 0,01%). Por outro lado, houve aceleração em Salvador (de 0,09% para 0,17%) e no Recife (de 0 10% para 0,15%).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.