i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
CONTAS PÚBLICAS

Decreto fará reprogramação de despesas do governo para o primeiro quadrimestre

O decreto vem se somar à decisão do governo de adiar o pagamento de despesas discricionárias (não obrigatórias) e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)

    • Estadão Conteúdo
    • 26/02/2015 15:49

    O secretário do Tesouro Nacional, Marcelo Saintive, informou nesta quinta-feira (26), que será publicado durante o dia um decreto da presidente com a programação financeira para o primeiro quadrimestre deste ano. “Estamos buscando dar previsibilidade financeira aos órgãos do que podemos fazer neste momento. Não é contingenciamento. Mostra o que eles poderão decidir em termos de alocação de recursos nos próximos dois meses”, afirmou.

    O secretário disse que a publicação do decreto é uma decisão importante do governo para fazer o ajuste fiscal. “A política fiscal está caminhando para maior robustez. Estamos preparando as bases para o crescimento maior da economia”, disse.

    O decreto vem se somar à decisão do governo de adiar o pagamento de despesas discricionárias (não obrigatórias) e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). “Reprogramamos as despesas discricionárias e do PAC à luz da situação atual. Não significa que não vamos pagar. Reescalonar é melhor que não pagar. É reprogramação de despesa”, afirmou o secretário.

    Saintive disse que as despesas obrigatórias serão pagas normalmente, mas as discricionárias serão adequadas à disponibilidade de recursos. “Isso é uma sinalização para agora. Precisamos do orçamento aprovado. Essa reavaliação precisa ser feita à luz do orçamento aprovado”, explicou.

    Meta fiscal

    O secretário afirmou que a situação econômica não é fácil, mas disse que as medidas que serão adotadas pelo governo devem garantir o cumprimento da meta fiscal de 1,2% do PIB esse ano. “Ajuste fiscal é um mix de componentes de aumento de receitas e corte de despesa”, disse.

    Saintive afirmou ainda que não haverá mais auxílio do Tesouro Nacional à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). Segundo ele, o repasse em janeiro, de R$ 1,250 bilhão, foi o último pagamento, que deveria ter sido feito no ano passado, mas cuja autorização só saiu no final de 2014. “São restos a pagar do ano passado”, disse. “Não tem mais auxílio do Tesouro Nacional à CDE”, afirmou.

    Rebaixamento da Petrobras

    O secretário do Tesouro Nacional comentou também que o rebaixamento da Petrobras pela agência Moody’s, na terça-feira, não vai “contaminar” outras companhias do país. Quando questionado sobre eventuais dificuldades que outras empresas possam enfrentar no mercado externo, seja para emissão de títulos ou para obtenção de financiamento, por conta da perda do grau de investimento da Petrobras pela Moody’s, Saintive foi enfático em dizer que não.

    “As agências (de rating) avaliam empresa por empresa e acho que isso (o rebaixamento da Petrobras) não contamina as demais empresas”, disse. Ele não quis responder pergunta sobre eventual socorro do Tesouro à Petrobras. “Não falamos sobre Petrobras aqui. É outro fórum”, afirmou.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.