i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Pré-sal

Dividir royalties é "indecente e ilegal", diz Dornelles

O texto aprovado na quarta-feira determina que o dinheiro obtido com a cobrança da compensação financeira devida pela empresas que exploram petróleo seja rateado entre todos os estados e municípios

  • PorAgência Estado
  • 02/12/2010 14:03

O senador Francisco Dornelles (PP-RJ) afirmou nesta quinta-feira que o Rio de Janeiro não aceitará a proposta de divisão de royalties do petróleo aprovada ontem pela Câmara. Dornelles, que foi um dos principais negociadores do Rio dos projetos do marco regulatório do pré-sal no Congresso, voltou a classificar a nova proposta de divisão dos royalties como "imoral, indecente, ilegal".

O texto aprovado na quarta-feira determina que o dinheiro obtido com a cobrança da compensação financeira devida pela empresas que exploram petróleo seja rateado entre todos os estados e municípios, seguindo as regras dos Fundos de Participação dos Estados (FPE) e Municípios (FPM), cabendo à União ressarcir estados e municípios produtores que perderem receita. Na avaliação do senador, essa proposta é "uma troca de um direito do Rio por uma esmola da União".

"A União não tem tradição de pagar esmolas, veja a lei Kandir", afirmou o senador, fazendo uma referência a uma velha briga entre Estados e o governo federal pelo ressarcimento das perdas financeiras que os cofres estaduais têm com a desoneração das exportações. Para o senador, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá vetar a emenda porque "ela é inconstitucional".

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.