i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
mercado

Dólar cai e volta ao nível do início de maio

Moeda terminou o dia em baixa de 1,06%, vendida a R$ 1,772. Valor de fechamento é o menor desde 4 de maio

  • PorG1/Globo.com
  • 18/06/2010 15:13

Indice europeu de ações sobe pela 8ª sessão, puxado por bancos O dólar caiu mais de 1% frente ao real nesta sexta-feira (18), fechando no menor patamar em um mês e meio, com melhora do apetite por risco no exterior e fortalecimento da tendência de valorização do real. A moeda norte-americana caiu 1,06% no dia, para R$ 1,772. É o menor valor de fechamento desde 4 de maio, quando ficou em R$ 1,761.

Na semana, o dólar acumulou baixa de 2,42%, após cair em quatro dos cinco dias. No mês, a queda é de 2,69%. No ano, a moeda acumula alta de 1,66%.

O principal fator por trás da sequência recente de queda do dólar é o cenário mais tranquilo em relação à dívida de alguns países europeus. O euro teve a maior alta semanal em mais de um ano, aproximando-se novamente de US$ 1,24, após leilões de bônus bem-sucedidos na Europa.

No Brasil, o panorama também passou a ser mais favorável para o real. Com a menor aversão a risco no exterior, os estrangeiros anularam as posições compradas na moeda dos Estados Unidos, que somavam mais de US$ 3 bilhões no dia 9 -- considerando o mercado futuro e o de cupom cambial (DDI).

Essas posições funcionam como uma proteção contra a alta do dólar, mas também como uma aposta na desvalorização do real.

Além disso, as bilionárias capitalizações de Banco do Brasil e Petrobras e novo aumento do juro básico pelo Banco Central devem atrair capitais ao país nas próximas semanas.

"O diferencial de crescimento (em relação a outras economias) e o 'carry' favorável (por causa dos juros altos) são alguns dos elementos que sustentam nossa visão (a favor da alta do real)", escreveram analistas do BNP Paribas em relatório.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.