O dólar fechou em queda nesta sexta-feira (12). A moeda terminou o dia a R$ 1,765, em baixa de 0,28%. Na semana, o dólar também registrou desvalorização, de 1,23%.

No acumulado de 2010, porém, a moeda norte-americana ainda acumula alta de 1,15%.

O dólar vinha apresentando tendência de queda desde o início deste mês, por conta da perspectiva de um aumento do ingresso de recursos no curto prazo, em parte principalmente por conta de várias ofertas de ações.

Nos Estados Unidos, indicadores divulgados nesta sexta concentraram a atenção do mercado. As vendas no varejo em fevereiro cresceram 0,3%, mais que o esperado. A confiança do consumidor caiu para 72,5 pontos no início de março, ante 73,6 pontos em fevereiro. Já os estoques de empresas ficaram estáveis em janeiro.

O mercado passou o dia em sintonia com o exterior, em que o dólar perdia terreno frente a outras moedas com a notícia de que Janet Yellen, presidente do Federal Reserve de San Francisco e tida como defensora de uma postura mais tolerante com a inflação, é a favorita para substituir Donald Kohn como vice-presidente da instituição.

A queda do dólar no Brasil chegou a perder força na metade do dia, em meio à fraqueza das bolsas de valores e de outros ativos considerados de risco, como commodities. Mais tarde, porém, retomou a baixa.

"[O dólar] deve continuar no canal de baixa em que está. A situação lá fora que poderia assustar está um pouco mais tranquila. A gente vem passando por uma acomodação em todos os mercados", disse Arnaldo Puccinelli, gerente de mercados financeiros da corretora Terra Futuros.

Internamente, o mercado comenta ainda que as ofertas de ações programadas -como a da OSX, de até R$ 9,9 bilhões - aumentam o ingresso de recursos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]