i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
mercado

Dólar recua pelo terceiro dia seguido, mas tem ligeira alta na semana

Moeda norte-americana caiu 0,13%, a R$ 1,578 na venda. No ano, o dólar tem queda acumulada de 5,28%

  • Porreuters
  • 15/04/2011 15:00

O dólar recuou - ainda que discretamente - pelo terceiro dia seguido nesta sexta-feira (15), mas teve alta na semana.

A moeda norte-americana caiu 0,13%, fechando a R$ 1,576 na compra e a R$ 1,578 na venda.

Na semana, o dólar subiu 0,25%, mas no mês de abril acumula queda de 3,25%. No ano, a desvalorização atinge 5,28%."Se nada de novo com relação a medidas acontecer, se nada de muito ruim no exterior ocorrer, o dólar deve manter essa tendência de baixa", comentou Victor Asdourian, operador de câmbio da Hencorp Commcor Corretora.

"É fato que as quedas diminuíram de intensidade porque tem havido saída de recursos e o Banco Central continua atuando, mas no curto prazo sem grandes surpresas o dólar devem seguir em baixa."

O mercado tem se sentido mais confortável para vender dólares após notícias na mídia sugerirem que o governo toleraria um real mais forte nos esforços contra a inflação. Mas, após seguidas quedas, parte dos players resolveram dar uma pausa e recompor posições, o que vem limitando recuos mais acentuados.

De todo modo, algumas intituições começaram a rever suas projeções para a taxa de câmbio para o final deste ano. Uma delas foi o HSBC, que reduziu a estimativa para o dólar este ano de R$ 1,60 a R$ 1,52, menor cotação desde janeiro de 1999.

Para os analistas Constantin Jancso e Marjorie Hernandez, o movimento deve ser gradual e continuará governado pelo ingresso de recursos financeiros em níveis "sem precedentes" e pelo patamar mais elevado dos termos de troca.

A despeito do saldo negativo de US$ 14 milhões em abril até dia 8, o superávit cambial já soma US$ 35,578 bilhões em 2011, bem mais que os US$ 24,354 bilhões apurados em todo o ano passado.

Na próxima semana, investidores vão continuar atentos aos números de fluxo cambial e, também na quarta-feira, à decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a Selic, para a qual não há consenso entre elevação de 0,25 ou 0,50 ponto percentual.

Atualmente em 11,75% ao ano, a elevada taxa de juro é apontada por alguns profissionais como um dos fatores responsáveis pela grande quantidade de capitais que tem ingressado ao país.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.