i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
empreendedorismo

BNDES facilitará crédito a micro, pequenas e médias empresas

    • Agência O Globo
    • 13/12/2016 15:02
     | Bigstock/Bigstock
    | Foto: Bigstock/Bigstock

    O BNDES anunciou nesta terça-feira (13) uma série de medidas para micro, pequenas e médias empresas (MPME) que visam a simplificar a relação e elevar os desembolsos para esse grupo de empresas. As medidas vão desde redução da burocracia na concessão de crédito até mudança nas exigências de garantia para facilitar o acesso a capital de giro.

    Com isso, a expectativa é que o desembolso para este segmento cresça em 20% em 2017, em relação ao liberado em 2016. De janeiro a outubro, as micro, pequenas e médias empresas receberam R$ 21,9 bilhões do BNDES. O pacote de medidas será implementado gradualmente a partir de janeiro, quando será anunciada a nova política operacional do BNDES.

    Uma das principais medidas será a unificação das condições financeiras das operações indiretas -- aquelas que são intermediadas por agentes financeiros e que geralmente são usadas pelas MPMEs.

    Micro e pequenas empresas podem parcelar dívidas do Simples Nacional em até 120 meses

    São cerca de 600 mil pequenos negócios com débitos em aberto que devem, juntos, R$ 21 bilhões

    Leia a matéria completa

    Todas as linhas terão participação máxima de 80% em TJLP (Taxa de Juro de Longo Prazo, que está em 7,5% ao ano), que é o teto permitido pelo banco. Antes, esse percentual variava de 50% a 80%. Empréstimos em TJLP são aqueles em condições mais favoráveis, pois representam crédito subsidiado, já que a taxa básica de juros, a Selic, está em 13,75% ao ano.

    O banco também pretende automatizar processos das concessões de crédito das operações indiretas automáticas (valores até R$ 20 millhões), para reduzir o tempo de contratação do empréstimo. Hoje, a checagem de certidões, por exemplo, é feita manualmente. A expectativa é que o prazo para concessão de crédito caia de 30 dias para dois dias úteis após um ano de vigência das medidas.

    O banco baixará ainda o limite para enquadramento das empresas na categoria de micro, pequenas e médias. Hoje, essa linha de corte é de faturamento de até R$ 90 milhões. Passará a R$ 300 milhões.

    Com essas medidas, o BNDES estima que cerca de 1.500 empresas a mais serão atendidas dentro da categoria de MPMEs, o que vai contribuir para elevar o desembolso para este grupo em R$ 5,4 bilhões em 2017 ou 20% mais que a expectativa de liberações de 2016. São feitas cerca de 700 mil operações indiretas por ano no banco. Mas esse número já alcançou o patamar de 1 milhão de operações no passado.

    “Nosso objetivo é simplificar, simplificar, simplificar. Não negávamos empréstimos a essas empresas, mas elas eram enquadradas em outras condições”, explicou Ricardo Ramos, diretor de exportação, operações indiretas e recursos humanos do BNDES, salientando que as medidas não são parte do pacote do governo Temer para estimular a economia. “Estamos conversando desde junho sobre isso. Não tem a ver com a situação econômica do país”.

    Na área de capital de giro, as pequenas e médias empresas poderão usar o Fundo Garantidor para Investimentos (fundo do próprio BNDES) para até 70% do valor da garantia exigida pelo banco. Antes, esse percentual era de 50%. A concessão de garantias é uma das maiores dificuldades para pequenas empresas pois elas têm pouco patrimônio.

    As grandes empresas também serão beneficiadas na linha de capital de giro. A linha será reaberta para grandes empresas, no valor de até R$ 70 milhões por ano por CNPJ.

    Haverá ainda um reforço do Moderfrota, voltado para produtores rurais com renda anual de até R$ 90 milhões. Será liberado mais R$ 2 bilhões para o programa. Os recursos virão de ministérios da Fazenda e da Agricultura. A dotação do programa para um ano, contado a partir de julho passado, era de R$ 4,8 bilhões, mas o dinheiro foi consumido em seis meses. Por isso, houve a decisão de reforçar o orçamento do programa. Os R$ 2 bilhões serão para o período de janeiro a junho de 2017.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.