i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Negócios

Brafer aposta em energia solar para retomar crescimento

Com queda no faturamento, fabricante de estruturas metálicas de Araucária entrou no mercado fotovoltaico e vai construir e administrar linhas de transmissão

  • PorClaudia Guadagnin, especial para Gazeta do Povo
  • 31/05/2016 16:28
Brafer  fechou parceria com empresa espanhola para a produção dos  trackers , que  funcionam como suportes para as placas solares. | Divulgação/Brafer
Brafer fechou parceria com empresa espanhola para a produção dos trackers , que funcionam como suportes para as placas solares.| Foto: Divulgação/Brafer

A redução de mais de 20% no faturamento de 2015 em relação ao resultado de 2014 e a mão de obra ociosa, resultado da crise, incentivaram a Brafer Construções Metálicas a diversificar a estratégia de negócio e investir em novas oportunidades do setor de energia solar.

A companhia fechou, no primeiro semestre deste ano, uma parceria com a espanhola Clavijo, apontada como uma das maiores do mundo no setor de energia fotovoltaica. Com isso, a Brafer espera dominar a tecnologia, qualificar o conhecimento na área solar e ampliar as condições de atuação no mercado, de olho no início de projetos aprovados em leilões de energias renováveis, promovidos recentemente pelo governo federal.

LEIA MAIS sobre Energia e Sustentabilidade

Siga a Gazeta do Povo no LinkedIn

Prevendo a construção de parques solares no Brasil, que prometem incentivar a tecnologia fotovoltaica no país e reaquecer a indústria, a Brafer quer atender as companhias que venceram a concorrência fornecendo componentes metálicos, entre eles, estruturas feitas em aço para suporte dos módulos solares.

Desaceleração

Com a crise, o quadro de funcionários da Brafer foi reduzido de 1.320 mil trabalhadores para 900. Mesmo assim, segundo o vice-presidente da companhia, Luiz Carlos Caggiano, a mão de obra que permaneceu está ociosa. “Nossa capacidade de produção anual pode chegar a 40 mil toneladas de estruturas metálicas. Hoje, está em torno de 20 mil”, diz.

Entre 2013 e 2014, as duas unidades da empresa chegaram a produzir, por mês, 4.500 mil toneladas de material. Atualmente, o volume para atender a demanda do mercado nacional e estrangeiro fica em torno de mil. A Ópera de Arame, a Arena da Baixada, a Arena Corinthians e a reforma do Maracanã são algumas obras recentes que contaram com produtos fornecidos pela companhia.

“Três leilões ocorreram entre 2014 e 2015. Cada um gerou pouco mais de 800 megawatts de potência instalada. Juntos, os projetos devem demandar uma média de 200 mil toneladas de estruturas metálicas”, prevê Caggiano. Segundo o vice-presidente, a expectativa é de que o BNDES libere os financiamentos necessários o quanto antes, para que as construções tenham início.

Transmissão

Além de continuar a fornecer componentes para construções de estádios, arenas, galpões, pontes, viadutos e torres de energia, por exemplo, a empresa passa agora a também ser responsável por construir – e administrar – novas linhas nacionais de transmissão energética.

O direito foi adquirido em abril deste ano, quando a empresa participou de um leilão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Por meio da Braferpower – um consórcio formado entre a Brafer (que detém 51% da participação), a CEEPower (com 48%) e CEEE Power Brazil (com 1%) – a fabricante adquiriu um dos 24 lotes oferecidos e conquistou a chance de construir e alugar 155 quilômetros de linhas de transmissão para atender o mercado elétrico do litoral norte do Rio Grande do Sul e fortalecer o sistema de Santa Catarina.

O contrato que oficializa o início dos trabalhos será assinado em junho e a previsão para entrega do projeto é de 36 meses. As novas linhas serão alugadas para a Aneel pelo período de 30 anos, à remuneração fixa anual de R$ 40 milhões. Nos leilões, ganha o lote a concorrente que se dispuser a receber o menor valor de Receita Anual Permitida (RAP), que é a remuneração paga às companhias, em relação ao teto.

Segundo Caggiano, desafios inéditos já começaram a ser superados. “Nosso conhecimento até então foi específico na área da fabricação de componentes metálicos; agora, precisamos dominar todas as etapas necessárias à instalação do sistema com um todo. Já estamos contratando e formando o time para isso”, conta ele. Com o novo projeto, cresce a produção de torres para transmissão de energia e outros componentes. Como consequência, aumentam as atividades em setores que a empresa contrata mão de obra e também terceiriza.

O projeto vai ter custo total de R$ 205 milhões. A maior parte do valor é proveniente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e deve ser quitado pela Brafer nos próximos dez anos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.