Modelo chinês  roda 300 quilômetros com uma carga, mas carência de pontos para recarga  nas cidades e estradas brasileiras ainda é desafio  para mercado de elétricos | Divulgação/
Modelo chinês roda 300 quilômetros com uma carga, mas carência de pontos para recarga nas cidades e estradas brasileiras ainda é desafio para mercado de elétricos| Foto: Divulgação/

A democratização do carro elétrico teve início em Curitiba. Pelo menos, é o que sugere a intensa procura pela locação do primeiro veículo do tipo que chegou à capital paranaense.

Desde o lançamento oficial da novidade, na última quinta-feira (7), mais de 30 pessoas já testaram a opção.

O modelo E6, da chinesa BYD – maior montadora de elétricos do mundo – vem sendo oferecido pela curitibana Fleety. A empresa, responsável pela criação, em 2004, da primeira plataforma de compartilhamento de carros entre pessoas da América Latina, facilita o contato entre motoristas dispostos a locar seus veículos e pessoas interessadas em alugá-los.

Os automóveis ficam em estacionamentos conveniados em pontos estratégicos de Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis.

O carro 100% elétrico, entretanto, chegou a Curitiba por meio de uma parceria firmada com a carioca Dirija Já. Ela intermediou o contato com a BYD e possibilitou à Fleety o gerenciamento dos aluguéis na capital. Por enquanto, apenas um modelo está disponível para locação.

“Há um grande interesse da China em se consolidar no Brasil. Oferecer um carro que pode ser experimentado pela população facilita o acesso e pode aumentar a procura pela alternativa. No país, os poucos exemplares são para uso de empresas ou de órgãos públicos”, lembra Guilherme Nagüeva, responsável pelas estratégias digitais da Fleety.

Ele também conta que a maior procura pelo modelo elétrico é de curiosos interessados em passar uma ou duas horas com o veículo. “Querem conhecer a tecnologia e ficam impressionados com os benefícios, que vão do silêncio do motor à eficiência sem gerar poluição. O maior desafio que ainda precisa ser superado é a oferta de pontos de recarga nas cidades e estradas, que hoje, praticamente, inexistem”, opina.

Como aproveitar

O E6 é automático, roda 300 quilômetros com apenas uma carga e atinge em torno de 150 km/h, mas vem sendo liberado apenas para uso na cidade e locação de até três dias. Isso por questão de segurança, já que não existem pontos de recarga nas estradas e carência deles nas cidades.

O custo do aluguel é de R$ 15 a hora ou R$ 120 a diária. A solicitação deve ser feita no site da Fleety e, após a confirmação da equipe, retirado no estacionamento do Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), no bairro Jardim Botânico.

A devolução ocorre no mesmo local, que é o único de Curitiba a contar com um ponto de abastecimento energético. O carro leva de duas a três horas para ser completamente recarregado.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]