i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
montadora

Fiat avalia oferta de ações da Ferrari, diz jornal

  • PorReuters
  • 26/09/2010 14:02

A montadora Fiat considera listar parte de sua unidade de carros esportivos Ferrari, para levantar recursos para aumentar a sua participação na companhia norte-americana Chrysler, segundo informou o jornal Corriere della Sera neste domingo.

O jornal disse ter obtido informações junto à cúpula da Fiat, em Turim, de que a prioridade da empresa é encontrar recursos que permitam financiar a aquisição de 51 por cento da Chrysler.

Um porta-voz da Fiat negou a informação de possível venda de ações.

"Não há planos de qualquer listagem da Ferrari", afirmou.

A Fiat, que possui 20 por cento da Chrysler, deve aumentar a sua participação para 35 por cento, após ter cumprido metas de reestruturação.

Ela tem a opção de aumentar o seu controle acionário para até 51 por cento.

Segundo o diário, a Fiat manteria uma participação majoritária de 51 por cento na Ferrari, a qual, de acordo com o jornal, vale 3,1 bilhões de dólares.

A empresa atualmente conta com 85 por cento das ações da Ferrari.

Em setembro, o presidente-executivo da Fiat, Sergio Marchionne, que é também presidente-executivo da Chrysler, disse que queria retornar ao índice histórico de 90 por cento. Isso sem abdicar do fundo de investimentos de Abu Dhabi Mubadala, que possui 5 por cento das ações.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.