i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Protesto

Fiscais agropecuários distribuem três toneladas de frango em Curitiba

Produto foi distribuído por volta do meio-dia, em frente à Superintendência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no bairro Tarumã

  • PorAntonio Senkovski e Fernanda Fraga, especial para a Gazeta do Povo
  • 06/09/2012 07:35
Pessoas interessadas em receber os frangos se concentraram em frente à superintendência desde manhã | Henry Milleo / Agência de Notícias Gazeta do Povo
Pessoas interessadas em receber os frangos se concentraram em frente à superintendência desde manhã| Foto: Henry Milleo / Agência de Notícias Gazeta do Povo

Os fiscais federais agropecuários promoveram um protesto em frente à Superintendência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no bairro Tarumã, em Curitiba, nesta quinta-feira (6). Ao meio-dia, três toneladas de frango começaram a ser distribuídos aos moradores do bairro como reivindicação ao estabelecimento de critérios técnicos para a indicação de cargos de confiança. Outro pedido dos manifestantes é a mudança na chefia da divisão na capital paranaense.

Uma hora depois de começar o protesto, toda a carne de frango destinada ao ato já havia sido distribuída. Ganharam o produto entre 400 e 500 pessoas. A aglomeração se estendeu por todo o quarteirão, e terminou as 13 horas. A fila começou a se formar no local antes das 10h, quando cerca de 30 pessoas já aguardavam pelo início da manifestação em frente à sede do Mapa em Curitiba. As três toneladas de carne tiveram custo de R$ 10.000, que foram retirados do fundo de greve do sindicato.

Segundo o dirigente do Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (ANFFA Sindical) em Curitiba, Ailton Santos da Silva, o evento tem a intenção de alertar a população para a necessidade de haver uma valorização do serviço público. "Essa manifestação é em prol da meritocracia. Estamos com muita ingerência política dentro dos dirigentes do nosso trabalho", diz Silva.

A manifestação acontece mesmo depois de os fiscais terem encerrado a greve da categoria, no último dia 28. Em assembleia nacional, a classe trabalhista aceitou o reajuste proposto pelo governo de reajuste salarial de 15,8% dividido em três parcelas anuais. Pelo acordo, a remuneração será concedida na forma de subsídio, com a incorporação do aumento nos salários.

Na última semana, o prédio da Superintendência foi fechado pela chefia e os servidores foram dispersados, o que gerou protestos. "O clima está insustentável, não tem como trabalhar", afirma o fiscal federal Caruso.

Falsas acusações

Segundo André Parra, superintendente federal substituto no Paraná, as acusações dos servidores não têm fundamento. "Eles é que estão fazendo assédio moral contra nós. Nós estamos sendo pressionados", afirma. De acordo com o diretor, durante a manifestação que ocorreu na tarde de quinta-feira, o carro em que ele estava por pouco não foi agredido. "Quando viram que era meu carro, correram para cima. Só depois viram que era minha esposa e pararam. Não sei o que poderia ter acontecido", afirma.

Para o substituto, a manifestação é uma demonstração de "insubordinação". "Já fomos auditados, não existe qualquer tipo de corrupção aqui, não existe pressão psicológica. O que ocorre é que é papel do gestor colocar os funcionários onde eles podem produzir mais e onde há mais necessidade", afirma. Ele acusa a liderança do movimento, que já fez parte da diretoria da superintendência, de fazer os protestos como forma de manipular a opinião pública para voltar ao poder.

Terceiro protesto do gênero na capital

A manifestação é a terceira do gênero que acontece desde o início de agosto. No dia 21, onze toneladas de laranja foram distribuídas no mesmo local. Já no dia 17, mil litros de leite foram fornecidos gratuitamente à população.

Mas, se nos dois primeiros atos os protestos eram ligados à greve nacional, agora a manifestação é regional e tem como alvo a chefia do Paraná.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.