i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Crise

FMI pede que G-20 ajude Europa a ampliar recursos

  • PorAgência Estado
  • 25/01/2012 13:34

O Fundo Monetário Internacional (FMI) está pedindo às maiores economias do mundo que ajudem a zona do euro a ampliar os recursos para combater a crise na região, informou nesta quarta-feira (25) a instituição.

O FMI pediu à Europa que aumente seus fundos de resgate, ao Banco Central Europeu (BCE) que amplie seu balanço patrimonial e ao G-20 que contribua com novos recursos à vista para a linha de financiamento de emergência das economias europeias.

O Fundo divulgou nesta quarta seu relatório de supervisão e política, que foi entregue aos vice-ministros de Finanças do G-20 em reunião realizada na semana passada, na Cidade do México.

Além de pedir ao BCE que expanda seu programa de compra de bônus soberanos e oferte mais recursos de liquidez aos bancos, as autoridades do FMI recomendaram que a zona do euro duplique o tamanho de seu fundo de resgate. O FMI também pediu aos países do G-20 que aumentem a capacidade de financiamento da própria instituição em US$ 500 bilhões a US$ 600 bilhões.

Esses recursos são necessários, segundo o FMI, para fortalecer os bancos europeus contra o risco de default, evitar uma crise financeira global e mostrar aos mercados que as autoridades dispõem dos recursos necessários para resgatar Itália e Espanha, as duas maiores economias da zona do euro. As informações são da Dow Jones.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.