Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Funcionários da fábrica de bebidas da Ambev em Manaus decidiram entrar em greve por tempo indeterminado após impasse nas negociações salariais. Eles devem aproveitar o calendário da Copa para pressionar por aumento real de salário.

A unidade tem cerca de 1.000 empregados e a adesão é de 70 trabalhadores até o momento, de acordo com representantes da categoria.

Uma assembleia na noite desta quarta (14) aprovou a paralisação, que também foi mantida nesta quinta (15) após empresa e sindicato não conseguirem chegar a um acordo.

A confederação nacional dos trabalhadores do setor (Cnta) e o sindicato dos trabalhadores nas indústrias de bebidas de Manaus (Stibam) pedem reajuste salarial com aumento real -acima da inflação de 10%-, um programa nacional de PLR (Participação nos Lucros e Resultados) e piso nacional de R$ 1.500.

A exemplo de categorias como bancários e petroleiros, os trabalhadores querem negociações em nível nacional para garantir os mesmos direitos aos funcionários de várias regiões do país.

Por essa razão, as entidades sindicais informam que a paralisação pode se estender por outras regiões, mas a empresa descarta. No país, são 32 mil funcionários da Ambev.

Em nota oficial, a companhia informa que "a expressiva maioria de seus funcionários em Manaus não aderiu à tentativa de paralisação" e a fábrica segue com a "rotina normal de trabalho a despeito de qualquer bloqueio ou desordem que o sindicato possa instalar na entrada da unidade".

A Ambev descarta problemas na produção e informa que "o abastecimento dos pontos de venda não serão afetados".

Também afirma que "segue aberta ao diálogo com o sindicato" e que não recebeu comunicado sobre aviso de greve.

O Ministério Público do Trabalho da região deve ser acionado ainda hoje pelas entidades sindicais para garantir o direito de greve.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]