i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Comércio exterior

Furlan diz que pacote cambial deveria ter liberado de 50% a 60% das exportações

  • PorO Globo/Globo Online
  • 26/07/2006 16:24

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, elogiou as medidas do pacote cambial anunciado nesta quarta-feira com objetivo de desonerar as exportações. Mas o ministro, que esteve no Rio, disse que poderia ter sido fixado um percentual maior do que os 30% para o valor das exportações que pode ficar no exterior. Segundo ele, o percentual poderia ser maior, entre 50% a 60% pelo menos.

- É um bom começo. É uma medida de liberalização que aponta para um bom caminho de reduzir os custos das empresas exportadoras e que fazem investimentos no país - destacou Furlan.

Segundo Furlan, as diversas medidas anunciadas foram além do que os exportadores pediam, porque permitiram a compensação não apenas as importações, mas também com investimentos no exterior. Isso porque uma empresa que tem investimentos no exterior poderá utilizar recursos de exportação para fazer esses investimentos, o que evitará custos financeiros desnecessários.

O ministro disse que a maioria das empresas exportadoras já será beneficiada com esse patamar de 30%, porque existe um grande número de empresas brasileiras que são exportadoras e importam um pequeno valor em relação ao total exportado. Ele disse, contudo, que certamente alguns setores como de petróleo, petroquímico, eletroeletrônico, material de transporte, automotivo e aviões terão necessidade de percentuais maiores, mas que isso virá com o tempo.

- É um período de experiência e avaliação do efeito e, provavelmente, a partir dessa avaliação poderá ter uma liberalização. A medida provisória prevê que o Conselho Monetário poderá chegar até 100% se for o caso. O número ideal seria entre 50% e 60%, mas 30% é um bom início para poder se avaliar com segurança - disse Furlan.

Ele ressaltou que é mais fácil começar em um percentual menor e ir ampliando, do que criar uma expectativa de um patamar maior e depois ter que reduzir.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.