i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Negócios

Galinha Pintadinha: de um vídeo esquecido no YouTube a marca milionária

Em 2018, a Galinha Pintadinha chegou à TV com uma nova série e desbancou Rihanna do posto de canal musical mais popular do mundo no YouTube

  • PorBeatriz Pozzobon, especial para a Gazeta do Povo
  • 03/12/2018 11:38
Juliano Prado e Marcos Luporini, os criadores da Galinha Pintadinha. | Ricardo Dettmer/Divulgação
Juliano Prado e Marcos Luporini, os criadores da Galinha Pintadinha.| Foto: Ricardo Dettmer/Divulgação

Um dos negócios de maior sucesso do país, a marca Galinha Pintadinha está no mercado brasileiro há 12 anos e quer permanecer relevante no Brasil por várias gerações. Seus criadores garantem que estão trabalhando para isso, tanto que 2018 foi o melhor ano da marca, após o “boom” de 2013. Neste ano, a Galinha Pintadinha ultrapassou a cantora Rihanna e se tornou o canal musical mais popular do YouTube no mundo, chegou à TV e segue faturando alto com mais de 500 produtos licenciados.

Quem vê o sucesso da marca hoje não imagina que o negócio nasceu de um vídeo esquecido publicado no YouTube. Os amigos Juliano Prado (47) e Marcos Luporini (48) resolveram criar um DVD com 13 músicas infantis. Entre elas, Pintinho amarelinho, Mariana, Sapo não lava o pé e Galinha Pintadinha — que era só mais uma das personagens do projeto. Em busca de financiamento, postaram o clipe da Galinha no YouTube, para mostrar a um cliente potencial. Ele rejeitou a ideia.

O vídeo continuou na plataforma e, seis meses depois, já acumulava meio milhão de visualizações, o que para 2006, quando o YouTube nem era do Google ainda e era composto basicamente de vídeos amadores, era um número promissor. Foi então que eles resolveram arriscar e fazer o DVD de forma independente, trabalhando nele nas horas vagas.

Na época, Luporini era produtor musical e Prado trabalhava com animação para a internet. A ideia era que a venda de DVDs pelo e-commerce funcionasse como complemento de renda e, para isso, eles investiram R$ 20 mil.

LEIA TAMBÉM: Endividado, brasileiro usará 13.º para poupar e comprar

Para divulgar o DVD, os agora sócios seguiram postando os clipes no YouTube. Desse modo, venderam 15 mil cópias diretamente da loja virtual. Em 2008, eles assinaram contrato com a Europa Filmes. Foi aí que o crescimento da marca engrenou.

“Não fizemos pesquisa para criar a Galinha. Fizemos no nosso estilo, com o dinheiro que a gente tinha. Na época, as animações estavam se sofisticando bastante. Nós criamos um produto mais singelo, apostamos no simples, no colorido. E as crianças se apaixonaram pelo desenho”, conta Prado, que é amigo de Marcos há mais de trinta anos.

Não se sabe exatamente a razão, mas o fato é que as crianças amaram a Galinha Pintadinha, fazendo da personagem uma febre no universo infantil e uma marca milionária. Ao sucesso, Prado aposta em três motivos: estar no YouTube na hora certa, antes que as grandes produtoras tivessem dado conta do poder da plataforma; o repertório, composto por músicas de domínio público que atravessam e conectam gerações; e a estética do desenho, muito colorido e de traços simples.

“Temos muita consciência de que quem está assistindo do outro lado é uma criança pequena e que isso irá impactá-la. Por isso, procuramos produzir da forma mais segura possível. Nossos conteúdos são seguros, alegres, não têm violência”, afirma Prado, sobre a preocupação em ter como público-alvo crianças na primeira infância, de até quatro anos.

Músicas fáceis e animações coloridas formam a receita do sucesso.Galinha Pintadinha/Divulgação

É assim, com músicas fáceis de decorar e animações coloridas, que a Galinha Pintadinha acumula conquistas e números de dar inveja em muita gente. No YouTube, são 10,1 bilhões de visualizações, que fazem do canal o segundo mais visto do Brasil, atrás somente do Kondzilla, com 21,2 bilhões, e à frente de nomes conhecidos como a Turma da Mônica, Marília Mendonça e Whindersson Nunes. Diariamente, o canal oficial da Galinha soma cinco milhões de visualizações somente no Brasil.

São quatro DVDs lançados — os últimos três em parceria com a Som Livre — com 3,5 milhões de cópias vendidas. Atualmente, 500 produtos licenciados estampam a Galinha Pintadinha, como fraldas, livros, brinquedos, mochilas, patinetes, copinhos de plástico, escovas e pastas de dente. O que é fruto de uma parceria, nascida em 2011, com a Redribra, agência de licenciamento de marcas que atua com nomes como Coca-Cola, Super Mario e The Simpsons.

Para receber a marca da Galinha Pintadinha, o produto precisa passar pela aprovação dos próprios criadores. Eles chegam a provar os alimentos que recebem como propostas de licenciamento.

Em 2015, a Galinha Pintadinha alcançou um feito inédito para empresas do Brasil: estar entre as 150 maiores marcas do mundo em licenciamento, ocupando a 89.ª posição, com US$ 300 milhões em produtos vendidos. Questionada sobre o faturamento total da marca, a empresa preferiu não revelá-lo.

Os criadores da Galinha Pintadinha buscam chegar o quanto antes nas novas plataformas, da mesma forma como foram pioneiros no YouTube. Outro investimento da marca é na experiência ao vivo, totalmente contrária do mundo virtual em que a Galinha nasceu. “Acredito que seja um bom complemento para a marca”, avalia Prado. Cerca de sete vezes por mês, a Galinha Pintadinha vai ao encontro dos fãs com o espetáculo “A Fabulosa Trupe da Galinha Pintadinha”, em shoppings e teatros de todo o país.

O ano em que a Galinha voltou com tudo

Criada e mantida exclusivamente no ambiente online por muito tempo, em 2018 a Galinha Pintadinha foi para a televisão. No início do ano, os criadores da marca lançaram a série Galinha Pintadinha Mini, uma produção de cunho educativo que conta com 26 episódios de 12 minutos cada.

Inicialmente, a série saiu no PlayKids, YouTube e Netflix. Em maio, foi para a TV Cultura e, em novembro, estreou na TV por assinatura, no canal Nat Geo Kids, que se tornou a primeira rede de televisão paga do mundo a ter os direitos de transmissão da personagem animada.

“Estar na televisão, principalmente na TV aberta, representa um marco para nós. Significa chegar aos lugares mais remotos do Brasil. Falar com pessoas espalhadas pelo nosso país, que podem não ter acesso aos meios digitais”, destaca Juliano Prado.

LEIA TAMBÉM:Como o Google Fotos se transformou no detentor de nossas memórias

Como parte da expansão internacional da marca, a série da Galinha Pintadinha já foi produzida em espanhol, inglês e hebraico e a ideia é lançar em outros idiomas também. No ano que vem, deve ir ao ar a segunda temporada da série.

Foi em 2018 também que o canal da Galinha Pintadinha no YouTube se tornou o maior de música da plataforma no mundo. Ele chegou à marca de 30 vídeos com mais de 100 milhões de visualizações, superando os números da então líder, a cantora norte-americana Rihanna, com 29 vídeos, e de outros grandes nomes da música internacional, como Taylor Swift (27) e Justin Bieber (25).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.