i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
crise

Geithner diz que crise na Europa exige "equilíbrio"

Secretário do Tesouro disse crer que medidas necessárias serão adotadas. Ele participa de encontro com ministro das Finanças da Alemanha

  • Porreuters
  • 08/03/2011 10:56
Secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, participa de conferência com ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, em Berlim (08/03) | Reuters
Secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner, participa de conferência com ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, em Berlim (08/03)| Foto: Reuters

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, afirmou nesta terça-feira (8) estar confiante que a Europa adotará as medidas que forem necessárias para lidar com a crise de dívida soberana, mas enfatizou que é preciso encontrar um equilíbrio entre as reformas fiscais e o apoio financeiro.

A visita de um dia de Geithner à Alemanha, anunciada somente no fim da semana passada, alimentou especulações de que os EUA estariam preocupados com a capacidade da Europa de fechar um robusto pacote de medidas contra a crise nos encontros da cúpula de 11, 24 e 25 de março.

A Alemanha está resistindo a pressões de alguns parceiros da zona do euro, da Comissão Europeia e do Banco Central Europeu para dar novos poderes ao fundo de resgate do bloco e aliviar o peso da crise em países como Grécia e Islândia.

Geithner afirmou estar convencido de que as autoridades europeias entendem "o que será preciso fazer" e afirmou que elas precisam se certificar de que "encontrarão o equilíbrio certo" entre o suporte a programas reformistas e o apoio financeiro necessário para fazê-los funcionar.

Em entrevista coletiva em Berlim após uma reunião com seu colega Wolfgang Schaeuble, Geithner descreveu as reformas implementadas por Grécia e Islândia como "incrivelmente difíceis".Ele disse que na Europa existe um amplo sentimento de que, para as reformas funcionarem, elas precisam ser apoiadas em "assistência financeira cuidadosamente e condicionalmente planejada".

Mais cedo, Geithner se encontrou com membros sêniores do Banco Central Europeu, que sinalizou na semana passada uma possível alta das taxas de juro na zona do euro em abril. Geithner não quis comentar a política monetária europeia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.