i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Setor automotivo

GM e Chrysler negociam fusão, diz o "New York Times"

  • PorAgência Estado
  • 11/10/2008 08:20

A General Motors está em negociações preliminares para uma possível fusão com a Chrysler, de acordo com informações do New York Times. Segundo o jornal, as conversas entre a direção da GM e o Cerberus Capital Management, o fundo de private equity (especializado na compra de participações em empresas) que assumiu o controle da Chrysler no ano passado, começaram há cerca de um mês, e não se pode afirmar se algum acordo será fechado. Ao mesmo tempo em que negocia com a GM, a Chrysler mantém conversas com outras grandes montadoras, como a Renault-Nissan, diz ainda o jornal.

A GM e a Chrysler, junto com a Ford, dominaram durante longo tempo o mercado de automóveis americano, até a chegada das montadoras japonesas e de outros países. Se uma fusão poderia salvar as duas empresas, que atravessam graves problemas financeiros, ainda é cedo para saber. Por isso mesmo, além desse tipo de negociação, as montadoras buscam saídas mais imediatas. Uma delas poderia ser a liberação do pacote de ajuda de US$ 25 bilhões prometido pelo governo americano. Porém, integrantes do governo George W. Bush reafirmaram nesta semana que pode demorar entre 6 e 18 meses até a conclusão do trabalho de redação da lei e a liberação dos empréstimos. O setor automobilístico quer que os empréstimos comecem a ser liberados já em janeiro.

As empresas afirmam que suas necessidades de capital se tornaram ainda mais urgentes após as turbulências do mercado de ações desta semana. Na quinta-feira, a General Motors e a Ford viram o preço de suas ações despencar 31% e 22%, respectivamente. Com a deterioração atual do quadro econômico, a agência de classificação de risco Standard & Poor's disse que há uma grande possibilidade de GM e Ford, além da Chrysler, pedirem concordata. A GM e a Ford, porém, afirmaram que não estudam pedir concordata.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.