i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Empresas

Governança foi decisiva para o sucesso da Perdigão

  • PorCinthia Scheffer
  • 21/08/2006 17:49

O mercado financeiro dificilmente vai chegar a um consenso sobre o reflexo – positivo ou negativo – que a oferta hostil de compra feita pela Sadia, em julho, teve sobre a imagem da Perdigão. Apesar de as ações da companhia paranaense terem subido após a tentativa de negócio, o próprio diretor-presidente da Perdigão, Nildemar Secches, admite que ficou com um "gosto amargo" na garganta, mas enumera ganhos trazidos pela semana de negociações com a sua principal concorrente e seus acionistas.

O principal deles, segundo o executivo, foi a constatação de que a empresa está no caminho certo quanto à importância das boas práticas de governança corportativa – o sistema pelo qual as sociedades são dirigidas e monitoradas, envolvendo os relacionamentos entre acionistas e cotistas, conselho de administração, diretoria, auditoria independente e conselho fiscal. Foi a relação transparente com os acionistas que garantiu, segundo Secches, que a empresa continuasse com o capital pulverizado.

O executivo participou na semana passada de um evento em Curitiba promovido pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), no qual apresentou o modelo adotado pela empresa catarinense. "Os acionistas sabem que são importantes para a companhia", afirmou Secches. Os fundos de pensão Previ e Petros são hoje os maiores acionistas da Perdigão – com 15,31% e 11,63% das ações, respectivamente – e o restante está pulverizado entre outros acionistas.

A Perdigão tem capital aberto há 12 anos. Na época da primeira oferta pública de ações, a empresa passava por uma forte crise financeira e de imagem e optou por abandonar a gestão familiar. No começo deste ano, foi a segunda empresa brasileira a pulverizar suas ações no mercado.

Acerto

Secches não tem dúvida de que a decisão de abandonar a administração familiar foi acertada. Segundo ele, nos últimos 12 anos a empresa gerou 24 mil empregos diretos e o valor das ações cresceu 33% ao ano, em média. "Com o modelo de administração difuso, o crescimento da empresa não fica limitado ao poder financeiro dos acionistas controladores", avalia. "A sua capacidade de expansão depende, assim, apenas da sua capacidade administrativa."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.