i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Crise Econômica

Governo britânico vai discutir prática de empréstimos com bancos

Intenção do governo é que instituições financeiras ajudem mais pequenos negócios a lidar com a crise

  • PorReuters
  • 19/10/2008 10:55

O governo britânico irá se reunir com diretores das instituições bancárias para persuadi-los a fazer mais para ajudar pequenos negócios e proprietários a lidar com a crise financeira global, afirmou neste domingo (19) Peter Mandelson, o novo ministro de Negócios do Reino Unido.

O governo injetou 37 bilhões de libras (64 bilhões de dólares) de capital arrecadado com impostos em três dos maiores bancos britânicos no início desta semana, como parte de um amplo pacote para reforçar o sistema financeiro.

"Há coisas que nós podemos e vamos fazer tanto diretamente como governo, mas também indiretamente usando os bancos como concessores de empréstimos para as empresas", declarou Mandelson à BBC.

"Nós podemos implementar, e estamos, uma estrutura de política capaz de ajudar pequenas e médias empresas, assim como, outros negócios a superar essa fase", afirmou o ministro.

Os três bancos que aceitaram os fundos do governo britânico, Royal Bank da Escócia, HBOS e Lloyds TSB, já se comprometeram a manter a concessão de empréstimos à proprietários e pequenos negócios nos níveis de 2007.

Mandelson disse que ele e o ministro das Finanças, Alistair Darling, iriam conversar com os bancos sobre como o compromisso funcionará na prática. As instituições que não precisaram de capital também serão estimuladas a serem mais adaptáveis.

"Dentre os bancos nos quais nós não temos capital aplicado, Alistair Darling e eu vamos conversar com os respectivos diretores-executivos e discutir com eles como podem usar os critérios e adotar um caráter mais flexível durante este momento de crise, de forma a manter as linhas de crédito para empresas de pequeno e médio porte", finalizou Mandelson.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.